O realizador Diogo Costa Amarante vai fazer parte do júri da competição de curtas-metragens do Festival de Cinema de Berlim, marcado para fevereiro, anunciou esta quinta-feira a organização.

O realizador português regressa ao festival um ano depois de ter vencido o Urso de Ouro de melhor curta-metragem, com o filme “Cidade Pequena”. Diogo Costa Amarante “faz parte de uma elogiada terceira geração de realizadores portugueses, cujo cinema colocou Portugal num patamar impressionante na cinematografia mundial”, afirma a organização.

O júri da secção de curtas-metragens contará ainda com o realizador Mark Toscano e com a realizadora Jyoti Mistry. A 68.ª edição do Festival de Cinema de Berlim decorrerá de 15 a 25 de fevereiro, e a programação completa será anunciada no dia 6 desse mês.

Sabe-se que o filme de abertura será “Isle of Dogs”, nova animação de Wes Anderson, integrado na secção competitiva de ‘longas’.

A competição pelo Urso de Ouro integrará ainda, por exemplo, “Don’t worry, he won’t get far on foot”, de Gus Van Sant, “Dovlatov”, de Alexey German Jr., “Eva”, de Benoit Jacquot, com Isabelle Huppert, e “Figlia mia”, de Laura Bispuri.

A estes juntam-se ainda “In den Gängen” (“Nos corredores”, em tradução livre), de Thomas Stuber, “Mein Bruder heißt Robert und ist ein Idiot” (“Robert é meu irmão e é um idiota”), de Philip Gröning, e “Mug”, de Malgorzata Szumowska.

“The Bookshop”, de Isabel Coixet, e “The silent revolution”, de Lars Kraume, serão mostrados no programa “Berlinale Special”. A secção “Panorama” contará, entre outros, com os documentários brasileiros “Bixa Travesty”, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, e “Ex Pajé”, de Luiz Bolognesi.