Hotelaria

Grupo Pestana abre hotel no edifício do antigo café “A Brasileira”, no Porto

Um novo hotel de cinco estrelas com um investimento na ordem dos 12 milhões de euros abre dia 23 no histórico edifício do antigo café "A Brasileira", na Baixa do Porto.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Um novo hotel de cinco estrelas com um investimento na ordem dos 12 milhões de euros abre dia 23 no histórico edifício do antigo café “A Brasileira”, na Baixa do Porto, indicou esta quarta-feira fonte do grupo Pestana.

O Pestana Porto – A Brasileira City Center & Heritage Building, localizado junto ao Teatro Sá da Bandeira e à estação ferroviária de São Bento, “resulta da reabilitação do edifício que há mais de um século foi construído para acolher a”Brasileira”.

Em declarações à Lusa, a mesma fonte do grupo hoteleiro Pestana, que tem atualmente cerca de 90 unidades em Portugal e no estrangeiro, confirmou que “o histórico edifício vai receber um hotel de cinco estrelas com 90 quartos e ‘suites’ distribuídos por seis pisos temáticos”, relacionados com as “especiarias importadas nos séculos XV e XVI durante a expansão marítima portuguesa, designadamente café, canela, chá, chocolate, anis e pimenta rosa”.

Localizado no gaveto da Rua do Bonjardim com a Rua Sá da Bandeira, o edifício do café ‘A Brasileira’ pertence ao empresário e ex-selecionador António Oliveira que, para aquele projeto hoteleiro, firmou uma parceria com o grupo Pestana, através da sua empresa OPPA – A Brasileira, Lda. Segundo a OPPA, António Oliveira investiu no projeto “12 milhões de euros e o projeto de construção foi adjudicada à Mota-Engil”.

O grupo Pestana refere que as características da fachada e a imagem das salas do rés-do-chão – cafetaria e restaurante — foram preservadas com a sua traça original. O novo hotel de cinco estrelas está a cerca de 50 metros da Avenida dos Aliados, e a cerca de dez minutos a pé da zona da Ribeira e do Rio Douro, em pleno centro histórico da cidade que faz parte do Património Mundial da Unesco.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Crónica

Partir A. Ventura /premium

José Diogo Quintela

Ventura quer mudar o sistema por dentro. É uma espécie de supositório humano: faz-se introduzir no organismo para depois exercer a sua influência. Ei-lo metade glicerina, metade convicção ideológica.

Cristianismo

Nos portais do mistério, com Charles Péguy

Jaime Nogueira Pinto

De maioria que éramos, dominante e governante, e por isso até arrogante, nós cristãos, na Europa e no mundo, estamos a ficar minoria e voltámos a ser perseguidos, alvo de atentados, de discriminações.

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)