Literatura

Gulbenkian celebra “Galáxia Tabucchi” com exposição e colóquio de dois dias

Antonio Tabucchi morreu há seis anos. De modo a assinalar a data, a Gulbenkian vai realizar uma exposição e um colóquio de dois dias sobre a obra do autor italiano que se apaixonou por Portugal.

Antonio Tabucchi morreu a 25 de março de 2012, em Lisboa

Stelios Skopelitis

Antonio Tabucchi, escritor italiano que passou os últimos anos de vida em Portugal, morreu há seis anos. De modo a assinalar a data, a Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, preparou uma série de iniciativas que andarão “à volta de uma só estrela” — Tabucchi. Entre 8 e 10 de abril, a Gulbenkian vai revisitar a obra do autor com dois dias de “intenso debate”, filmes, leituras musicadas e ainda uma exposição iconográfica e documental.

Esta será inaugurada logo no dia 8 e poderá ser visitada durante um mês. Intitulada Tabucchi e Portugal, irá incluir vários objetos do acervo familiar do escritor — como manuscritos, documentos, fotografias –, e excertos de entrevistas com Maria João Seixas e Mega Ferreira. O objetivo é, de acordo com a Fundação Gulbenkian, “mostrar um lado mais pessoal de Tabucchi e da vida que levou no País que o acolheu como a um dos seus”.

Esse “lado mais pessoal” também será revelado através do documentário “Se de tudo fica um pouco — no rasto de António Tabucchi”, de Diego Perucci, que será exibido a 8 de abril, pelas 18h, no âmbito da Festa do Cinema Italiano, no Cinema São Jorge. O filme, o primeiro dedicado a Tabucchi, inclui “entrevistas a amigos, colegas e companheiros de uma vida acompanham uma verdadeira viagem através os lugares que o acolheram e o hospedaram”, segundo a informação disponível no site do festival de cinema.

O filme “Requiem”, do realizador Alain Tanner, tem como base a obra do autor italiano e será exibido no dia seguinte, 9 de abril, na Sala Polivalente da Coleção Moderna da Gulbenkian. No mesmo dia, pela manhã, terá início o colóquio Galáxia Tabucchi, que irá juntar cerca de duas dezenas de estudiosos de várias nacionalidades. O encontro irá terminar no dia 10 com uma leitura musicada de textos de Antonio Tabucchi, a cargo de Jorge Silva Melo e Fabrizio Gifuni. A música foi composta por Carlos Martins e Carlos Barretto.

“O evento é extenso e variado, fazendo dele uma galáxia”, refere a Gulbenkian. “Mas estrela, por esses dias, será só uma – de seu nome Antonio, sem acento.”

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site