Espanha

Marcelo visita Espanha com Rajoy a querer “aprofundar sintonia” com Portugal

Com o presidente português em Espanha para uma visita oficial, Mariano Rajoy elogia papel dos dois países na resposta à crise. E diz que quer aprofundar as "interconexões" nos transportes e energia.

Juan Carlos Hidalgo / POOL/EPA

O presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, inicia esta segunda-feira uma visita oficial a Espanha e o líder do Governo espanhol, Mariano Rajoy, deu uma entrevista a um jornal nacional onde diz que os dois países estão “sempre a procurar novas formas de cooperar”. Mas que “o importante nestes encontros é continuar a aprofundar a sintonia em projetos comuns”.

Ao Diário de Notícias, Rajoy diz que “é importante continuar a colaborar nas questões que temos estado a realizar nos últimos anos”, referindo-se “especialmente às interconexões, tanto as infraestruturas de comboios e estradas como as interconexões energéticas”. Recorde-se que, no mês passado, os líderes dos governos de cada um dos dois países estiveram em Elvas para o lançamento do concurso para a ligação ferroviária entre Évora e a fronteira.

 O importante nestes encontros é continuar a aprofundar a sintonia que já temos e nos projetos comuns”, considera o primeiro-ministro espanhol.

O líder do Governo espanhol referiu também, na mesma entrevista, que “Espanha e Portugal são dois bons exemplos de superação das dificuldades. A mais recente delas é a crise económica”. E considera que “quanto mais” os dois países se entenderem, “melhor para ambos”. Sobre a política portuguesa e a atual solução governativa, Rajoy evita pronunciar-se e prefere concentrar-se no facto de se entender “muito bem com António Costa”, como diz, sublinhando logo de seguida que “também tinha uma boa relação com Passos Coelho”. Mas a Costa deixa o agradecimento “pelo apoio que deu na crise” a Espanha.

Também contorna temas mais tensos entre os dois países, como a questão de Almaraz, em que prefere destacar “mais do que a discórdia”, o “diálogo” entre Portugal e Espanha: “No ano passado chegámos a um acordo amigável para troca de informação a nível técnico sobre o armazém e isso permitiu que os nossos colegas portugueses estivessem tranquilos. Com esse espírito resolvemos cada uma das questões que surgem entre ambos os países e penso que, além disso, com Portugal é fácil entendermo-nos”. A mesma diplomacia para temas internos ao seu país. Quando questionado sobre as causas independentistas que estão a ganhar força em Espanha — como o recente caso da Catalunha expôs –, Rajoy acusou os líderes independentistas catalães de “atropelarem” as leis e agradeceu ainda “o apoio dos sócios europeus” nessa matéria: “Toda a gente compreende que os planos dos independentistas, se tivessem tido êxito, significariam o fim do projeto europeu”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)