A organização ambientalista Quercus saudou esta segunda-feira a proposta da Comissão Europeia (CE) sobre redução de plásticos descartáveis, considerando-a “um marco de viragem” que irá contribuir para “uma regulação futura na utilização dos produtos em plástico no geral”.

“Desde a prevenção à redução do impacte dos produtos de plástico no Ambiente, em particular no meio marinho, esta proposta da CE estabelece critérios para a utilização dos produtos de utilização única. A forma descontrolada com que o plástico de utilização única tem vindo a ser utilizado tem que mudar, é fundamental apostar na redução de aplicações onde a utilização de plásticos de uso único não faz sentido, aplicações para as quais muitas vezes já existe uma alternativa mais sustentável disponível”, salienta a Quercus em comunicado.

A CE apresentou esta segunda-feira, em Bruxelas, medidas para reduzir a poluição nos mares e oceanos e que incluem a proibição do uso de plástico em produtos como cotonetes, talheres, palhinhas e paus de balões. Estes produtos representam 70% dos resíduos marítimos na União Europeia (UE).

Segundo uma nota de imprensa da Comissão Europeia, nos casos em que existem alternativas facilmente disponíveis e acessíveis em termos de preço, os produtos de plástico descartáveis serão banidos do mercado.

A Quercus considera que a mudança de hábitos será “a chave para garantir um uso mais responsável” dos plásticos, e salienta que a proposta foi “um passo importante na luta contra a poluição de plástico de utilização única”, sendo que os descartáveis “correspondem atualmente a cerca de 70% da poluição por plástico” nos oceanos.