O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, disse esta terça-feira ao Presidente do Brasil, Michel Temer, que “é hora de pressionar” e “agir com mais firmeza” para “restaurar a democracia ” na Venezuela.

“Os Estados Unidos pedem ao Brasil que adote atitudes firmes contra o regime de [Nicolás] Maduro”, que “destruiu a democracia e construiu uma ditadura brutal” que “tornou a Venezuela um país pobre”, declarou Pence após uma reunião com Temer em Brasília.

Pence disse que os Estados Unidos não serão “espetadores” do “colapso de um dos seus vizinhos”, que “já foi um dos países mais ricos e está quebrado, podre”, e sofre uma “crise humanitária que se repercute em toda a região”.  O vice-presidente norte-americano valorizou o papel do Brasil na luta, tanto diplomática como humanitária, para a “redemocratização da Venezuela” e destacou a ajuda que o Governo brasileiro presta a cerca de 50 mil venezuelanos que chegaram no país.

Pence anunciou que os Estados Unidos vão oferecer 10 milhões de dólares [8,5 milhões de euros] para ajudar os imigrantes venezuelanos e que um milhão de dólares [860 mil euros] deste total será destinado a apoiar aqueles que fugiram para o Brasil.

O Presidente brasileiro, Michel Temer, disse que “o Brasil e os Estados Unidos convergem quanto à urgência de restabelecer a plena normalidade democrática” na Venezuela.

Mike Pence segue na quarta-feira para Manaus, na Amazónia, onde deve visitar um abrigo construído para acolher refugiados e imigrantes venezuelanos. Após Manaus, Pence seguirá para visitas oficiais ao Equador e à Guatemala.