Dívida Pública

Novo máximo histórico na dívida pública: 250.313 milhões de euros

8.757

A dívida do Estado português subiu 300 milhões em maio, subindo a um novo recorde. Enquanto não são refletidos os reembolsos de obrigações previstos para este ano, indicador continua a subir.

Rodrigo Baptista/LUSA

A dívida do Estado português subiu 300 milhões em maio, subindo a um novo recorde nos 250.313 milhões de euros. O indicador, relativo a maio, deverá ficar na história como o nível mais elevado na dívida pública porque em junho já houve um grande reembolso de dívida que irá fazer cair este valor bruto para o endividamento do país na próxima divulgação — mas enquanto esse fator não é refletido, o indicador continua a subir.

Os dados foram revelados esta segunda-feira pelo Banco de Portugal e refletem a estratégia, por parte da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), de antecipar as necessidades de financiamento do ano — concentrando as emissões de obrigações do Tesouro no início do ano e aproveitando as taxas de juro mais baixas (que se preveem subir na segunda metade do ano). Tendencialmente, é isto que acontece nos primeiros meses do ano — para, depois, surgirem as datas de reembolso da dívida antiga que farão com que este indicador vá descer nos próximos meses.

Já em junho, mês que ainda não está refletido nos dados conhecidos esta segunda-feira, houve um reembolso de quase sete mil milhões numa linha antiga de obrigações do Tesouro, pelo que só esse efeito levará a uma queda expressiva do indicador quando for divulgado (no início de agosto, relativo a junho).

Até ao final do ano ainda haverá mais reembolsos em julho, setembro e novembro.

Depois do aumento superior a quatro mil milhões em abril, em maio registou-se “um aumento de 0,3 mil milhões de euros nos empréstimos relativamente ao final de Abril”, explica o Banco de Portugal.

“Os ativos em depósitos das administrações públicas diminuíram 1,1 mil milhões de euros, tendo a dívida pública líquida de depósitos registado um acréscimo de 1,4 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 226,3 mil milhões de euros”, acrescenta a instituição.

Eis como evoluiu o valor total, bruto, da dívida pública portuguesa, na ótica de Maastricht (clique na imagem para aumentar a dimensão).

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Crónica

O regresso do Rei

Luis Teixeira

Os professores acreditam que os 9 anos, 4 meses e 2 dias de tempo de serviço congelado hão-de sair do nevoeiro da dívida e os enfermeiros, que os 68% de aumento hão-de chegar com a maré. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)