Polémica

A fotografia de Trump na poltrona de Churchill está a dar que falar

494

Donald Trump tirou uma fotografia sentado na poltrona que pertenceu ao antigo primeiro-ministro britânico Winston Churchill, mas houve quem não achasse uma boa ideia.

A imagem de Trump sentado na cadeira de Churchill foi publicada nas redes sociais pela porta-voz da Casa Branca

A visita de Donald Trump ao Reino Unido provocou vários protestos e a imagem do Presidente norte-americano sentado numa poltrona que pertenceu ao antigo primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, não melhorou a situação.

Segundo a Associated Press, Trump jantou na quinta-feira no palácio de Blenheim — onde nasceu Churchill — com empresários e personalidades de vários setores e, na sexta-feira, esteve com Theresa May em Chequers Court, a casa de campo utilizada pelos primeiros-ministros britânicos desde os anos 20.

Foi em Chequers que o Presidente americano tirou uma fotografia sentado na poltrona de Churchill. A imagem foi depois partilhada por Sarah Sanders, porta-voz da Casa Branca, na sua página de Twitter. Recorde-se que Trump é um admirador do antigo primeiro-ministro britânico, tendo mesmo voltado a colocar o busto de Churchill na Sala Oval, na Casa Branca, depois de tomar posse em 2017.

Mas houve quem não tivesse gostado da fotografia. O jornal britânico Daily Mirror fez mesmo capa com a imagem e escreveu “How dare you?” (“Como te atraves?”). “Insulta o nosso país, ataca o nosso SNS, envergonha a nossa Rainha, mina a nossa ‘relação especial’, humilha a nossa primeira-ministra… e depois posa presunçosamente na poltrona de Winston Churchill”, lê-se ainda na capa.

“Uma imagem de Donald Trump sentado na poltrona de Churchill vai ficar entalada na garganta de muitos britânicos que consideram Trump não só um dos piores presidentes na história dos Estados Unidos, mas também nem sequer digno de comparação com o nosso líder em tempo de guerra que salvou a nossa Nação na hora mais negra”, afirmou o deputado do Partido Trabalhista Stephen Doughty.

Já a deputada trabalhista Ruth Smeeth considerou que “tendo em conta as ações e retórica chocantes de Trump”, o Presidente norte-americano “nem sequer merece olhar para uma estátua de Churchill quanto mais sentar-se na sua cadeira”.

Outras pessoas reagiram à imagem nas redes sociais. “Churchill era um bom homem. Trump, nem por isso”, lê-se num tweet.

John Haltiwanger, jornalista de Política do Business Insider, cita o próprio Churchill na sua publicação: “Seria um desastre sem medidas se a barbárie russa se sobrepusesse à cultura e independência dos antigos Estados da Europa.”

Luke Zaleski escreve “The Darkest Hour”, numa referência ao filme “A Hora Mais Negra“, que retrata Churchill após a sua chegada ao poder em 1940.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt
Polémica

Magalhães

Luís Filipe Thomaz
1.591

Uma instituição com os pergaminhos da Real Academia de la Historia jamais se deveria permitir emitir um comunicado que enferma de simplismo, omissão, distorção de factos e falta de informação.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)