O El Pais revelou esta segunda-feira 20 fotografias captadas durante a preparação dos atentados de Barcelona, que a 17 de agosto de 2017 mataram 16 pessoas (entre as quais duas portuguesas) e feriram outras 140.

Nas imagens, retiradas de vídeos do processo a que o jornal teve acesso, é possível ver os autores do ataque a montarem os cerca de 500 kg de explosivos, na sua casa em Alcanar, na província de Tarragona, em Espanha. Casa que, posteriormente, explodiu. Além disso, há também fotografias da cidade de Paris, na altura de uma visita por parte de alguns dos terroristas. Veja aqui a fotogaleria completa.

Recorde-se que esta quinta-feira, os meios de comunicação espanhóis noticiaram que o cérebro dos atentados ainda está à solta na Europa. Segundo fontes de investigação citadas, à altura dos ataques, o mentor estaria “numa cidade no centro da Europa”. Além disso, adiantaram as mesmas fontes, o terrorista em questão, cuja identidade não foi divulgada, circula entre vários países europeus e “continua em contacto com outros grupos” extremistas.

Cérebro dos atentados de Barcelona ainda está à solta na Europa

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Este é o veneno que vamos colocar nos inimigos de Alá”

No processo, a polícia catalã transcreveu também o que foi dito pelos autores do ataque em vários vídeos que gravaram dias antes dos atentados, revelados agora pelos órgãos espanhóis. Num primeiro vídeo, gravado a 13 de agosto, Mohamed Hychami, Youssef Aalla e uma terceira pessoa não identificada conversam enquanto viajam num Audi na Catalunha.

Eu juro por Alá, cristãos, que vocês vão ver algo que vão adorar (…) Oh, inimigos de Alá, vocês vão conhecer homens”, disseram na gravação.

Um segundo vídeo, de 21 segundos, foi gravado em Paris um dia antes do primeiro vídeo, a 12 de agosto, e faz referência a uma carrinha branca estacionada junto à Torre Eiffel. O veículo tinha as luzes de emergência acesas e fazia cargas e descargas. Neste vídeo não foi possível identificar os intervenientes.

A 14 de agosto, três dias antes dos ataques, há também três arquivos gravados, durante a montagem dos explosivos.

Seres enganados, inimigos de Alá. Isto é para que saibam que o muçulmano tem a honra e a força com o apoio de Alá, louvado seja. Enquanto isso, a humilhação e a mesquinhez são para vocês, inimigos de Alá”, disse Youssef Aalla no primeiro vídeo.

Os responsáveis pelos ataques falam várias vezes no dinheiro que conseguiram devido aos seus trabalhos e chegaram a dizer que “a vida não importa nada” e que Alá os elegeu “entre milhões de homens para fazê-los chorar sangue”. “Alá, louvado seja, prometeu-nos o paraíso e a vocês prometeu o inferno”, disseram.

Vamos fazer vencer a nossa religião, a nossa crença, e vamos destruir os nossos inimigos com a permissão de Alá todo-poderoso”, lê-se na transcrição de outro vídeo.

Numa última gravação, os terroristas falam na “granada de mão improvisada, mas que faz o seu trabalho”. “Cada grama deste ferro vai entrar nas vossas cabeças ou nas dos vossos filhos ou nas das vossas mulheres, com o apoio divino”, referiram. E acrescentaram: “Este é o veneno que vamos colocar para os inimigos de Alá”.