Rádio Observador

Aston Martin

DBX: o SUV que mais parece um carro de ralis

A Aston Martin não podia ficar indiferente à moda dos SUV, pelo que tratou de desenvolver o seu primeiro veículo com capacidade para rodar fora-de-estrada. Mas sem beliscar a imagem da marca.

Seguindo as boas práticas da Porsche, Lamborghini e em breve da Ferrari, a Aston Martin prepara-se para lançar o seu primeiro SUV. Não que os ingleses morram de amores pelo conceito, mas porque é cada vez mais óbvio que, entre as marcas de luxo, especialmente as de cariz mais desportivo, não há outra forma de incrementar significativamente a produção de veículos e, com ela, a rentabilidade.

Depois de muitos pensarem que o TT da Aston Martin se chamaria Varekai, um pouco na linha de nomes estranhos iniciados com o superdesportivo Valkyrie, sabe-se agora que o modelo que se vai sentir tão à vontade no asfalto como na terra irá apenas ser conhecido como DBX.

Contudo, e como afirmou Marek Reichman, vice-presidente e chefe de design no construtor inglês, “não será um Audi Q7 com cara de Bentley, nem um Volkswagen com cara de Porsche”, reforçando a ideia de que o novo SUV foi concebido com total liberdade criativa e sem limitações impostas por outros veículos.

Uma vez que o DBX já está em adiantado estágio de desenvolvimento, a marca achou por bem revelar fotografias e vídeo do modelo ainda camuflado, mas não de modo a impedir que se tenha uma ideia concreta das formas da sua carroçaria. Ainda que possua uma altura ao solo generosa, o DBX parece mais baixo do que o normal nesta classe de veículos, com o pilar traseiro mais inclinado em busca do conceito de coupé, reforçando-lhe o ar desportivo. A grelha, como não podia deixar de ser, é a típica do construtor, mesmo neste que irá ser o modelo mais espaçoso.

Os potenciais clientes poderão contar com suspensões de dureza e altura reguláveis, para que o DBX possa evoluir à vontade em pisos mais degradados e com pedras soltas, mas que depois não limite a sua aptidão para rodar depressa em asfalto, aí já com uma menor altura ao solo para optimizar o centro de gravidade. As mecânicas serão todas a gasolina, com o V12 a locomover a versão mais sofisticada e o V8 sobrealimentado, adquirido à Mercedes-AMG, a ficar ao serviço do “baixo de gama”.

Mas talvez o pormenor mais curioso, evidente especialmente através do vídeo, seja o comportamento revelado pelo DBX. Num piso típico das florestas inglesas, em terra escorregadia, por estar molhada e com pedras soltas, o Aston Martin não parece arrastar a frente, como é típico dos SUV com tracção às quatro rodas – excepção feita para o Lamborghini –, para depois se atravessar ligeiramente sob aceleração, mais parecendo um carro de ralis. Ou seja, além de conseguir lidar sem problemas com pisos de terra, o DBX vai ainda ser muito divertido de conduzir. O Urus vai ter um rival à altura.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)