A Jaguar Land Rover (JLR) não vai marcar presença na próxima edição do Salão de Genebra, um dos mais importantes certames realizados em solo europeu, a par do Salão de Paris e do Salão de Frankfurt, que vão alternando. A notícia é avançada pela delegação da Índia da Autocar, o que não é de surpreender, uma vez que o grupo britânico é, na realidade, controlado pelos indianos da Tata.

Sem novidades de monta para a Jaguar e tendo promovido um evento especial em Inglaterra para o lançamento do novo Ranger Rover Evoque, a JLR prefere concentrar-se em “examinar a eficácia de cada salão”, antes de se decidir a avançar para investimentos de retorno não assegurado. Tanto mais que o grupo atravessa um momento particularmente difícil, do ponto de vista financeiro, num misto entre as dificuldades decorrentes do Brexit e a queda na procura de motorizações diesel, que representavam grande parte das unidades entregues a clientes. Resultado: as vendas têm baixado e, com elas, os lucros. Daí que cada cêntimo conte, quando a regra interna é controlar as despesas.

A não comparência da JLR na próxima edição do Salão de Genebra, que se realizará entre 7 e 17 de Março, é mais uma falta a juntar às já confirmadas ausências da Volvo e da Ford, esta última também a braços com um agressivo plano de cortes.