Marcelo Rebelo de Sousa

Brasil: Temer convidado para vir morar para Lisboa? Marcelo garante que não

441

Fontes do Palácio do Planalto garantiram à "Folha de São Paulo" que o presidente Temer havia sido convidado por Marcelo Rebelo de Sousa para se mudar para Lisboa. Belém desmente: "É um disparate"

JOÃO RELVAS/LUSA

A notícia foi publicada nas vésperas de Natal na “Folha de São Paulo”. Num artigo sobre o futuro imediato do ainda Presidente Michel Temer, o jornal brasileiro coloca em destaque um suposto convite que lhe terá sido feito por Marcelo Rebelo de Sousa para que se mudasse para Lisboa depois da tomada de posse de Bolsonaro. O convite teria chegado até com uma oferta de emprego: dar aulas na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde o Presidente da República português foi professor desde 1972 até ao final de 2016. O  jornal brasileiro diz, contudo, que Temer recusou o convite, para já. Belém garante ao Observador que tal convite nem sequer existiu.

Formalmente, Michel Temer deixa a presidência do Brasil no dia 1 de Janeiro, quando Jair Bolsonaro tomar posse. Depois disso, para além de perder os privilégios inerentes ao cargo que ocupa, Temer terá ainda de enfrentar a justiça brasileira. Sobre ele pendem quatro investigações já em fase avançada e há mais cinco inquéritos abertos pela Procuradoria-geral da República do Brasil que podem dar-lhe novas dores de cabeça. Estão em causa crimes de corrupção, branqueamento de capitais e organização criminosa.

De acordo com o jornal “Folha de São Paulo”, o ainda presidente quer “debruçar-se nos próximos meses na elaboração da sua defesa jurídica” e logo no primeiro dia de Janeiro deverá mudar-se de Brasília para São Paulo, onde conta regressar ao seu antigo escritório de advocacia.

Feito este enquadramento, o jornal avança depois com a informação do convite que teria chegado via Marcelo Rebelo de Sousa. Citando assessores do Palácio do Planalto, a “Folha” garante que “o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo [SIC], sugeriu a Temer que se mudasse para a capital portuguesa e lecionasse na Universidade de Lisboa”. Mas o presidente brasileiro recusou a sugestão “pelo menos por enquanto”, até porque foi aconselhado por amigos a “permanecer no Brasil, justamente para evitar especulações de que tenha a intenção de evitar a justiça”.

Contactada pelo Observador, a Presidência da República portuguesa desmente categoricamente o suposto convite e diz que, a ter existido, tal convite podia até criar um desnecessário desconforto diplomático, agora que Marcelo se prepara para viajar para Brasília para a cerimónia de tomada de posse de Jair Bolsonaro. Em Belém até se compreende que Temer preferisse mudar-se para fora do Brasil, dada a situação delicada que provavelmente terá de enfrentar quando deixar de ser presidente. Mas a garantia é de que, de Lisboa, não partiu qualquer convite.

Quanto à suposta proposta para que Temer desse aulas na Faculdade de Direito, o Presidente português chegou a classificar a ideia como “um disparate”, até porque não tem qualquer poder sobre a composição do corpo docente da faculdade, não podendo fazer convites. Marcelo está “reformado” da carreira de professor, lembra fonte da presidência, e o presidente brasileiro “está reformadíssimo”.

Marcelo Rebelo de Sousa e Michel Temer conhecem-se há décadas, precisamente pelo percurso comum na área do Direito. A última aula do Presidente da República português foi dada em setembro deste ano, numa simbólica cerimónia de despedida, e nela Marcelo referiu-se a si próprio como “o último moicano no ativo licenciado na pré história”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: pbenevides@observador.pt
Greve

Enfermeiros: Presidente traiu o dever de isenção 

Humberto Domingues
2.817

O Presidente da República traiu o seu dever da isenção, num programa de televisão, qualificando algumas questões profundas, com um discurso pobre, superficial, tendencioso, daninho e danoso.

Governo

Pode alguém pedir que se aja com escrúpulos?

Rita Fontoura

A falta de escrúpulos está a destruir o nosso país. Fomos enganados e estamos a ser enganados. É algo que não salta à vista e por isso engana, o que não espanta já que quem nos governa teve bom mestre

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)