Extremistas com ligações ao Estado Islâmico estarão a apelar a um ataque terrorista contra a duquesa de Cambridge, Kate Middleton. Segundo a imprensa tabloide britânica, a mulher do príncipe William e futura rainha de Inglaterra será o objeto de mensagens trocadas em grupos que incluem extremistas e apoiantes do Estado Islâmico na aplicação Telegram.

Um dos planos referidos nas mensagens citadas pelo tabloide Daily Mail é o de envenenar Kate Middleton. Numa mensagem enviada num desses grupos aparece uma imagem da duquesa com sacos de compras nas mãos, com um grande X em cima. A legenda serve para encorajar possíveis seguidores a levar o plano avante: “Sabemos o que ela come — envenenem-na!”

De acordo com outro jornal da imprensa “cor-de-rosa”, o Daily Star, as mensagens de encorajamento estão a ser levadas a sério pelas autoridades britânicas uma vez que uma das suspeitas é que o plano tenha origem em Husnain Rashid — que no ano passado foi preso por terrorismo depois de incitar à realização de um ataque terrorista contra o príncipe George, segundo o jornal britânico The Guardian. Um dos planos era envenenar o gelado do infante.

Algumas mensagens incluem também referências ao príncipe George, que, com 5 anos, é o filho mais velho de William e Kate e o terceiro na linha de sucessão ao trono britânico.

Segundo o Daily Star, que teve acesso às mensagens trocadas entre os extremistas e os apoiantes, a partilha das imagens foi seguida de várias intervenções a discutir os detalhes práticos sobre a forma de introduzir veneno nos produtos comprados por Kate Middleton e sobre os supermercados mais frequentados pela duquesa.

As autoridades britânicas monitorizam as mensagens trocadas através do Telegram, frequentemente usado por extremistas, e foi essa monitorização que permitiu a detenção e condenação de Husnain Rashid.