Rádio Observador

Austrália

A história de Sphen e Magic: o casal de pinguins gay que adotou uma cria

378

Sphen e Magic começaram por criar um ninho e ocupavam o tempo a aquecê-lo, mas sem ovo. Depois disso, os biólogos deram-lhes um ovo abandonado e desde aí que cuidam da cria.

Sphengic é a cria adotada por Sphen e Magic e tem agora três meses

Via Twitter oficial do aquário Sea Life Sidney

Esta é uma história de amor. Sphen e Magic, um casal de pinguins homossexuais, conheceram-se no aquário Sea Life de Sidney, na Áustrália, e desde aí têm-se tornado inseparáveis. Agora tomam conta de um pequeno pinguim, nascido de um ovo que terá sido abandonado por um casal heterosexual.

Tudo começou na época de acasalamento. Enquanto todos os outros animais procuravam um parceiro para acasalar, Sphen e Magic nadavam, cantavam e caminhavam juntos. Os dois, tornaram-se no primeiro casal gay do aquário. Mas o que chamou a atenção dos biólogos foi o facto de juntos terem criado um ninho e ocuparem o seu tempo a aquecê-lo para receber um ovo.

Assim que os trabalhadores do aquário se deram conta do comportamento dos animais, decidiram dar-lhes um ovo que tinha sido abandonado por um casal heterossexual. A cria, baptizada como “Sphengic”, acabou por nascer a 19 de outubro de 2018, no aquário de Syney com 91 gramas. Este é o primeiro pinguim sub-antártico a nascer no aquário. “A família está feliz e tem recebido visitas todos os dias”, refere o aquário na sua conta oficial de Facebook.

A história de Sphen e Magic ficou a ser conhecida por um artigo publicado esta terça-feira no jornal norte-americano New York Times e está a fazer as delícias na Internet.

Segundo o New York Times,  Sphen e Magic foram os primeiros a dar-se conta de que “Sphengic” estava a tentar sair do ninho. Juntos ajudaram-no. Agora, alimentam-no, cantam-lhe e deitam-no, quando é de noite.  Mas ainda assim, os primeiros tempos dos pais nem sempre foram fáceis e todo o trabalho teve de ser coordenado entre os dois.

Magic é o mais jovem, e nos primeiros dias começou a evitar os trabalhos paternais, como se dissesse: tu alimentas a cria hoje, que eu vou nadar”, explica Tish Hannan, supervisora dos pinguins do aquário de Sea Life.

Ainda assim, a coordenação entre os dois já foi melhorada e Magic tem-se revelado um excelente pai. Agora falta apenas saber-se se “Sphengic” é macho ou fêmea já que os órgãos reprodutores desta espécie animal são internos e só se pode saber através de uma análise ao sangue. “Temos um grande anúncio nas próximas semanas, onde revelaremos o sexo do pequeno”, refere Tish Hannan. Certo é que Sphengic tem feito grandes progressos e está a ter aulas de natação. Magic tem agora três anos e  Sphen seis.

O casal de pinguins são pinguins Getoo, uma espécie também conhecida por Papúa, e fazem parte de uma colónia de 33 animais. Na altura em que  Sphen e Magic se tornaram num casal, a Áustrália debatia a legalização do casamento homossexual entre os humanos.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

PSD

Rui Rio precisa do eleitorado de direita /premium

João Marques de Almeida

O eleitorado de direita deve obrigar Rui Rio a comprometer-se que não ajudará o futuro governo socialista a avançar com a regionalização e a enfraquecer o Ministério Público. No mínimo, isto.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)