Rádio Observador

Acidentes e Desastres

Prédio colapsa em Haia após explosão. Nove pessoas ficaram feridas

104

Nove pessoas foram já retiradas dos escombros e sete foram transportadas para o hospital, mas as autoridades não descartam a hipótese de haver mais moradores soterrados.

markkool8/Twitter

Parte de um prédio colapsou este domingo na cidade de Haia, na Holanda, na sequência de uma explosão, avança a cadeia de televisão RTL. Nove pessoas foram já retiradas dos escombros e sete foram transportadas para o hospital.

Um morador, um homem de 28 anos, ficou durante várias horas nos escombros, no rés-do-chão do prédio. Depois de se estabelecer contacto e se perceber que estava vivo, os bombeiros iniciaram a operação de resgate do morador mas, devido a grande instabilidade do prédio, todos os passos foram tomados com grande precaução. O homem foi retirado são e salvo ao fim de várias horas e, depois, transferido para um hospital.

Não se conhece, para já, a origem da explosão. Os bombeiros suspeitam que o colapso foi provocado por uma explosão de gás. Alguns moradores relataram que, na semana anterior, foi sentido um cheiro a gás — o que os levou a chamar técnicos para verificar se havia alguma avaria. Mas nenhum problema foi detetado.

Trata-se de um prédio de três andares na rua Jan van der Heijdenstraat, na cidade de Haia, cuja fachada ficou completamente destruída. De acordo com o porta-voz dos bombeiros, a explosão danificou três apartamentos do prédio. Outras casas vizinhas foram evacuadas devido ao perigo de derrocada novas derrocadas uma vez que as estruturas ficaram instáveis devido à explosão.

Uma testemunha que se encontrava nas imediações do prédio quando este colapsou recorda que estava a beber um copo de vinho quando “tudo começou a tremer”. “Foi um estrondo terrível. Não era normal. Saímos e vimos uma enorme destruição”, explicou Samantha Steenwijk numa publicação no Twitter.

A presidente da câmara de Haia já se pronunciou sobre a explosão que descreveu como “terrível para aqueles diretamente envolvidos”. “Muitas coisas ainda não estão claras mas está claro que as pessoas, casas e os seus pertences foram afetados. O impacto do acidente é enorme”, acrescentou Pauline Krikke.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)