Frederico Varandas tem uma parte grande das estantes do escritório de casa preenchidas com as medalhas que foi ganhando quando liderava o departamento médico do Sporting e recordações de alguns jogos ou jogadores, como luvas, botas ou bolas. Esta noite, conseguiu o primeiro troféu como presidente. E também ele teve uma história muito específica nos bastidores, como fez questão de referir na primeira intervenção que teve quando falou aos jornalistas na zona mista do Municipal de Braga.

“Marcel Keizer não pôde dar nenhum treino entre a meia-final e a final. Tivemos apenas 48 horas de repouso, tivemos uma baixa antes, durante o jogo tivemos dois jogadores com fraturas no nariz. Foram dois verdadeiros leões [n.d.r André Pinto e Petrovic]. E a verdade é que este título é do Sporting. Foi um título com muita luta, muita competitividade, mas também muita crença. Isto só é possível porque o Sporting tem um grupo forte e muito saudável. Com um plantel que tem lacunas, que não foi construído por este treinador e por este presidente, estamos a fazer o que podemos para torná-lo cada vez mais forte. Como presidente destes jogadores, tenho um orgulho enorme”, começou por destacar sobre o triunfo leonino na final da Taça da Liga, antes de abordar algumas incidências do jogo em si, nomeadamente a intervenção do vídeo-árbitro.

“Nesta final ficou bem patente a importância do VAR. Se não fosse o VAR este título não era do Sporting. E falo de um jogo em que houve excelente arbitragem, em que aquele lance é difícil de ver mas é indiscutível e o VAR assinalou. Graças a Deus o VAR está para ficar”, salientou Frederico Varandas a esse propósito, explicando ainda que recebeu os parabéns do homólogo portista, Jorge Nuno Pinto da Costa, no final do encontro na cidade dos arcebispos.

“Quero dedicar este título aos sócios e ao próprio Sporting. É um clube que passou o que passou nos últimos meses e que deu uma demonstração de força, um clube a quem davam meses e anos para recuperar e cá estamos”, concluiu.

Já Petrovic, um dos “heróis” que chegou com limitações físicas depois de um choque com André Pereira poucos minutos depois de ter entrado em campo, deixou vários agradecimentos e destacou a força do grupo verde e branco na vitória frente ao FC Porto. “Obrigado aos adeptos, obrigado aos meus companheiros, staff e todos os sportinguistas. É um bom dia para os sportinguistas, os adeptos querem sempre títulos e nós queremos ganhar o máximo possível. Mostrámos um grande espírito mesmo tendo alguns jogadores com problemas. É muito bom ganhar e agora queremos mais títulos”, disse à TVI.