Rádio Observador

Sporting

“Se não fosse o VAR, este título não era do Sporting. Graças a Deus o VAR está para ficar”, destaca Varandas

1.344

Frederico Varandas destacou as condicionantes do Sporting antes e durante o jogo decisivo da Taça da Liga frente ao FC Porto para elogiar a reconquista do título no final do desempate por penáltis.

Frederico Varandas conseguiu o primeiro título no futebol como presidente do Sporting, depois de ter sido eleito em setembro

Miguel Pereira

Frederico Varandas tem uma parte grande das estantes do escritório de casa preenchidas com as medalhas que foi ganhando quando liderava o departamento médico do Sporting e recordações de alguns jogos ou jogadores, como luvas, botas ou bolas. Esta noite, conseguiu o primeiro troféu como presidente. E também ele teve uma história muito específica nos bastidores, como fez questão de referir na primeira intervenção que teve quando falou aos jornalistas na zona mista do Municipal de Braga.

“Marcel Keizer não pôde dar nenhum treino entre a meia-final e a final. Tivemos apenas 48 horas de repouso, tivemos uma baixa antes, durante o jogo tivemos dois jogadores com fraturas no nariz. Foram dois verdadeiros leões [n.d.r André Pinto e Petrovic]. E a verdade é que este título é do Sporting. Foi um título com muita luta, muita competitividade, mas também muita crença. Isto só é possível porque o Sporting tem um grupo forte e muito saudável. Com um plantel que tem lacunas, que não foi construído por este treinador e por este presidente, estamos a fazer o que podemos para torná-lo cada vez mais forte. Como presidente destes jogadores, tenho um orgulho enorme”, começou por destacar sobre o triunfo leonino na final da Taça da Liga, antes de abordar algumas incidências do jogo em si, nomeadamente a intervenção do vídeo-árbitro.

“Nesta final ficou bem patente a importância do VAR. Se não fosse o VAR este título não era do Sporting. E falo de um jogo em que houve excelente arbitragem, em que aquele lance é difícil de ver mas é indiscutível e o VAR assinalou. Graças a Deus o VAR está para ficar”, salientou Frederico Varandas a esse propósito, explicando ainda que recebeu os parabéns do homólogo portista, Jorge Nuno Pinto da Costa, no final do encontro na cidade dos arcebispos.

“Quero dedicar este título aos sócios e ao próprio Sporting. É um clube que passou o que passou nos últimos meses e que deu uma demonstração de força, um clube a quem davam meses e anos para recuperar e cá estamos”, concluiu.

Já Petrovic, um dos “heróis” que chegou com limitações físicas depois de um choque com André Pereira poucos minutos depois de ter entrado em campo, deixou vários agradecimentos e destacou a força do grupo verde e branco na vitória frente ao FC Porto. “Obrigado aos adeptos, obrigado aos meus companheiros, staff e todos os sportinguistas. É um bom dia para os sportinguistas, os adeptos querem sempre títulos e nós queremos ganhar o máximo possível. Mostrámos um grande espírito mesmo tendo alguns jogadores com problemas. É muito bom ganhar e agora queremos mais títulos”, disse à TVI.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)