A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas está prestes a entregar 24 Óscares, mas há um que fica em falta. Se houvesse um 25.º galardão, o de Melhor Voz Adaptada, Marc Martel seria o vencedor deste ano. O cantor canadiano dá voz aos momentos musicais de “Bohemian Rhapsody” e é tido como um dos melhores imitadores de Freddy Mercury no mundo.

View this post on Instagram

La voz que suena en las partes musicales de la peli Bohemian Rhapsody no es la de Freddie Mercury ni tampoco de Rami Malek. Al menos no del todo. Es del canadiense @marcmartel. Suena así de impresionante ? . Martel se hizo popular en 2011 en YouTube gracias a las audiciones que montaron los exintegrantes de Queen, Roger Taylor y Brian May, para formar una banda tributo: The Queen Extravaganza. Los candidatos tenían que grabarse en vídeo y Martel, además de ganar el concurso, se hizo viral y terminó en el programa de Ellen DeGeneres. . Tiene 568.000 seguidores en YouTube y algunos de sus vídeos superan los 17 millones de reproducciones. . Para la peli, el sonido de algunas de las grabaciones originales de Queen, con más de 30 años de antigüedad, no mantienen los estándares de calidad actuales. . La producción decidió que él grabara la base de la mayoría de canciones de la película y, a partir de ellas, se añadieran partes originales del cantante de Queen y también algunas del propio Malek. El resultado es una amalgama de voces que no se pueden acreditar a una sola persona, aunque es Martel quien lleva el peso principal para suplir las carencias del actor. . #freddiemercury #freddie #bohemianrhapsody #cine #música #instacine #cosasbonitas #curiosidades

A post shared by verne (@verne.elpais) on

A insistência de um amigo mudou a vida de Marc Martel, que cresceu no Quebec, no Canadá, e começou a tocar piano aos cinco anos por influência da mãe, pianista na igreja, onde o pai era diretor do coro.

No final dos concertos, antes de ser conhecido, já fazia apostas com os meus amigos: quantas pessoas hoje é que vão dizer que sou parecido com o Freddy Mercury?

in “Medium”

Em 2011, Marc Martel enviou um vídeo para integrar o projeto do guitarrista e do baterista original dos Queen — Bryan May e Roger Taylor –, intitulado Queen Extravaganza. A interpretação de “Somebody to Love” tornou-se viral e Martel assegurou a vitória na competição, que o levou em tournée durante seis semanas, mantendo-se depois no projeto até 2017, quando saiu para fundar o seu próprio projeto de tributo.

Não só os dotes vocais, mas também a figura semelhante a Freddy Mercury, com os dentes incisivos salientes, aproximaram Marc Martel do vocalista original dos Queen, num vídeo que lhe deu a fama — com passagem imediata pelo programa de Ellen DeGeneres –, e que hoje regista mais de 17 milhões de visualizações.

Oito anos depois do sucesso no YouTube, Marc Martel tornou-se o “ghost-singer” de “Bohemian Rhapsody”, o filme de Bryan Singer, que está nomeado em cinco categorias: Melhor Filme, Melhor Ator (Rami Malek), Melhor Edição de Som, Melhor Mistura de Som e Melhor Edição.

[trailer de “Bohemian Rhapsody”]

Num filme biográfico cuja trama se faz à volta do mítico concerto no Live Aid, os produtores do filme não tinham como resolver a questão dos momentos musicais: as gravações originais não tinham qualidade para cinema e Rami Malek não era opção para interpretar as canções. É aí que surge Marc Martel, que fica responsável por grande parte dos momentos musicais de “Bohemian Rhapsody”.

Atualmente, com 42 anos, Marc Martel lançou um CD com versões dos Queen e em 2019 tem já concertos agendados para 14 países, nos Estados Unidos da América, na Europa, na Ásia e claro, em casa, no Canadá.