Não é todos os dias que uma marca portuguesa assenta arraiais em Paris e, em janeiro deste ano, a Bordallo Pinheiro abriu portas àquela que é a sua segunda loja fora de Portugal (a primeira abriu no ano passado, em Madrid). Fundada em 1884, a marca já tinha marcado presença em vários países, sempre através de exposições internacionais. Agora, a estratégia é outra. O espaço do Boulevard Saint-Germain, a cinco minutos a pé do Musée d’Orsay, é só a primeira abertura. Nos próximos meses, as faianças portuguesas vão estar presentes numa segunda loja própria, com localização ainda por anunciar.

A loja é pequena, mas tem tudo o que é preciso para nos lembrarmos do momento em que morremos de amores pelas faianças das Caldas da Rainha. O musgo, disposto ainda do lado de fora das montras, indicia a inspiração naturalista que levou Raphael Bordallo Pinheiro a desenhar e executar as primeiras peças, ainda no século XIX. Lá dentro, o verde predomina — nas mesas de exposição, no interior das montras e até nas paredes. Há quem seja apanhado de surpresa com a escala e com o detalhe de peças como a terrina couve, o jarro esquilo ou até mesmo como os candeeiros em forma de tomate, couve e abóbora.

A nova loja da Bordallo Pinheiro, no Boulevard Saint-Germain, em Paris © LIONELBALTEIRO/LAMOUSSE

Os jarros estão, na verdade, entre os grandes protagonistas da nova loja. Têm um mostruário próprio, lugar de destaque no meio de outros tesouros como os peixes e mariscos, devidamente dispostos em caixa de madeira cheias de sal. Não faltam, é claro, as manteigueiras, queijeiras, os oveiros e os utilitários mais simples. Junto ao balcão, a sardinhada. A coleção Sardinhas by Bordallo já conta com 80 espécimes diferentes. Noutra parede, um lagarto gigante (em faiança, claro) tenta os visitantes com a promessa de uma fotografia digna de Instagram. E já que falamos em paredes, também não falta o tradicional bando de andorinhas.

O local da loja no foi escolhido ao acaso. Há precisamente 130 anos, foi aqui construído o Pavilhão de Portugal para a Exposição Universal de Paris de 1889, cuja direção criativa foi levada a cabo pelo próprio Raphael Bordallo Pinheiro. Na altura, cinco anos após a criação da marca, as Faianças Bordallo Pinheiro ganharam a medalha de ouro da exposição, enquanto o seu criador foi condecorado Cavaleiro da Legião de Honra do estado francês.

Couves e tomates — a loja de Paris tem todos os clássicos da marca das Caldas da Rainha © LIONELBALTEIRO/LAMOUSSE

A estratégia de internacionalização da Bordallo Pinheiro não fica por aqui. Enquanto as obras na fábrica, nas Caldas da Rainha, se aproximam do fim, a marca finaliza também uma segunda loja em Paris. Tem abertura prevista para os próximos meses e vai dar a conhecer a naturalismo de Raphael Bordallo Pinheiro a outro arrondissement parisiense.

Nome: Bordallo Pinheiro
Morada: 260, Boulevard Saint-Germain, Paris
Telefone: 0033 145 540 589
Horário: De segunda-feira a sábado, das 10h às 19h