Conselho Europeu

Tusk alerta para influência de forças externas “antieuropeias”

O presidente do Conselho Europeu denunciou a existência de forças externas "antieuropeias" que pretendem influenciar o resultado das eleições europeias de maio.

Donald Tusk alertou para o futuro a pensar em ocasiões passadas, destacando a campanha do Brexit

OLIVIER HOSLET/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente do Conselho Europeu denunciou esta terça-feira a existência de forças externas “antieuropeias” que pretendem influenciar o resultado das eleições europeias de maio, como já o fizeram na campanha do Brexit e noutras eleições nacionais.

“Existem forças externas antieuropeias que procuram — abertamente ou secretamente — influenciar as escolhas democráticas dos europeus, como aconteceu com o Brexit e com um determinado número de campanhas eleitorais na Europa. E o mesmo pode acontecer nas eleições europeias de maio”, alertou Donald Tusk.

O presidente do Conselho Europeu, que falava em Bruxelas, após receber o primeiro-ministro da Arménia, Nikol Pashinyan, apelou à cooperação estreita de “todos aqueles que se preocupam com a Europa” durante e depois das eleições, que decorrem entre 23 e 26 de maio.

O político referiu-se ainda ao manifesto escrito pelo Presidente francês e publicado em jornais dos 28 Estados-membros na noite de segunda-feira, declarando que partilha a forma de pensar de Emmanuel Macron.

Sem nunca nomear a Rússia, o Presidente francês revelou-se preocupado com as ingerências externas nas democracias europeias e, nesse sentido, propôs “proibir o financiamento de partidos políticos europeus por poderes estrangeiros”.

“Não permitam que partidos políticos que são financiados por forças externas, hostis à Europa, decidam as prioridades da União Europeia e da nova liderança das instituições europeias”, instou Donald Tusk.

A preocupação quanto à ingerência de forças externas, nomeadamente da Rússia, nas próximas eleições europeias levou a Comissão Europeia a projetar um plano de ação, apresentado em dezembro, contra a desinformação em linha.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Espanha 2015

Nem tudo vale na política

Dantas Rodrigues

Oportunismos como o da candidatura de Manuel Valls em Barcelona é que degradam a imagem da política e alimentam a propagação de partidos populistas sejam eles de extrema-direita ou de extrema-esquerda

Igreja Católica

Tríptico europeu /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A Europa do terceiro milénio, perdida a sua identidade cristã, que era a razão de ser da sua unidade e grandeza, é um continente à deriva.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)