Brasil

O ataque à escola no Brasil em 15 passos (e 3 vídeos)

Uma escola na cidade de Suzano, em São Paulo, foi alvo de um ataque ao final da manhã, que provocou oito vítimas mortais e nove feridos. Os dois atiradores morreram no local

As autoridades no local do tiroteir em Suzano, São Paulo

AFP/Getty Images

1. Por volta das 9h30 dois jovens atacam a tiro um homem, dono de uma empresa de aluguer de carros, junto à escola. O homem seria levado para o hospital para ser submetido a uma intervenção cirúrgica e acabaria por morrer.  Segundo o G1, a primeira vítima é um tio do suspeito mais novo, Guilherme Taucci Monteiro.

2. Na empresa de aluguer de carros, os jovens roubam um Chevrolet Onix branco, com o qual se deslocam para a escola Prof. Raul Brasil.

3. Os jovens estacionam o carro à porta da escola e tiram do interior do automóvel uma mala com fios e garrafas que se suspeitam que sejam cocktails molotov. Levam ainda um machado, uma besta com setas, um revólver de calibre .38 e um sistema de carregamento da arma.

4. Os jovens entram na escola, que tem o portão aberto, de cara destapada. O atirador mais jovem terá alegado que queria voltar a estudar, justificando assim a entrada no estabelecimento escolar. A escola, que ocupa um quarteirão na cidade de Suzano, tem mais de 1050 alunos e tem também em funcionamento um centro de línguas estrangeiras.

5. Já dentro do estabelecimento de ensino, os jovens atiram sobre a diretora, que é a primeira vítima mortal dentro da escola. Só o suspeito mais novo transporta consigo um revólver, sendo o único a disparar durante todo o ataque.

6. Depois de atirarem sobre a diretora, atingem uma outra funcionária, que também tem morte imediata.

7. Os atiradores seguem para o pátio da escola, durante a hora do lanche, e encontram alunos do ensino médio — o correspondente ao ensino secundário, em Portugal.

8. Uma das cozinheiras da escola, Silmara Moraes, abre a cozinha da cantina e esconde 50 alunos que se refugiam do tiroteio atrás de frigoríficos, congeladores e mesas. Esta meia centena de alunos fica escondida durante 15 minutos, segundo relata a cozinheira. Noutros locais da escola, os funcionários e professores, ao darem conta dos acontecimentos, começam a trancar as salas e outros a fugir, como pode ver no vídeo em baixo.

9. No pátio da escola, os dois atacantes atiram sobre os alunos e cinco deles morrem no local. Outros alunos ficam feridos. Os alunos mortos tinham entre 15 e 16 anos.

10. Os atiradores seguem para o centro de línguas, que funciona noutro andar da escola. No centro de línguas, a professora e os alunos trancam-se na sala.

11. A policia chega ao local oito minutos após ter sido notificada, interceptando ainda o ataque dos dois jovens.

12. Do lado de fora da sala do centro de línguas, os dois atiradores suicidam-se quando se apercebem da chegada da policia.

13. A policia inicia a análise das armas encontradas junto dos atacantes, bem como as suspeitas de explosivos. As forças de segurança encontram os atiradores vestidos com calças e botas pretas e um deles com uma máscara com uma caveira. Um dos suspeitos tem o relógio ao contrário, de forma semelhante à utilizada pelos militares em missões.

“Entrei em pânico”. Como aconteceu o tiroteio no Brasil]

14. Devido à suspeita de explosivos, a Policia Militar chama o GATE — Grupo de Ações Táticas Especiais. As autoridades acabariam por confirmar que o artefacto encontrado não representava nenhum perigo.

15. A Policia Militar divulga a identidade dos dois suspeitos. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25. Os dois atacantes eram ex-alunos da escola e o mais novo frequentou o estabelecimento de ensino até ao ano passado. Um dos suspeitos publicou esta manhã várias fotos com o revólver que terá utilizado no ataque.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mdias@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)