A Polícia Nacional espanhola elaborou um protocolo a fim de controlar a segurança e bem-estar dos trabalhadores da embaixada da Coreia do Norte em Madrid, que foi assaltada a 22 de fevereiro. De acordo com o jornal El Confidencial, o protocolo baseia-se num controlo que é realizado diariamente, mais do que uma vez, de forma a garantir que os funcionários permanecem na embaixada e que não lhes acontece nada.

Desde que aconteceu o assalto em finais de fevereiro, a embaixada da Coreia do Norte é vigiada 24 horas por dia. Os próprios trabalhadores norte-coreanos adotaram um estilo de vida discreto e são raras as ocasiões em que saem da embaixada, sendo que os próprios serviços médicos se deslocam até ao edifício para evitar que os funcionários abandonem o mesmo.

Para aumentar a segurança, o controlo previsto no protocolo leva a que, de hora a hora, a equipa da Polícia Nacional faça a contagem de funcionários, de forma a perceber se falta alguém e prevenir que algo lhes aconteça. Também já foram entretanto instaladas novas câmaras de segurança para reforçar a vigilância.

Quanto aos autores do assalto, as autoridades espanholas suspeitam que a CIA dos EUA está por detrás do mesmo, em colaboração com os seus homólogos sul-coreanos. Também de acordo com o El Confidencial, fontes dos serviços secretos espanhóis deixam claro que, ainda que não se possa tirar para já conclusões definitivas sobre a origem do acontecimento, o grupo que assaltou a embaixada não teria capacidade logística para agir em Espanha sem recorrer a ajuda, neste caso dos EUA ou do Serviço Nacional de Inteligência da Coreia do Sul.