Entre 400 e 500 escolas do ensino básico ao secundário encerraram esta quinta-feira de manhã devido à greve do pessoal não docente, segundo um balanço provisório da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FSTFPS).

Os funcionários das escolas iniciariam esta quinta-feira uma greve, que termina na sexta-feira, para reivindicar aumentos salariais, integração nos quadros e a criação de uma carreira específica.

Em declarações à agência Lusa, o dirigente sindical Artur Sequeira, da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FSTFPS), avançou com um primeiro balanço provisório dos efeitos da greve: Durante a manhã, “estiveram encerradas entre 400 a 500 escolas do ensino básico e secundário”.

O número de estabelecimentos de ensino afetados poderá aumentar durante esta tarde, segundo Artur Sequeira