Violência Doméstica

Mulher atingida a tiro pelo marido em Bragança já está fora de perigo

Mulher atingida com um tiro na nuca pelo marido deu entrada nas urgências do Hospital de Bragança e já está ''livre de perigo''. Fonte da PSP diz que se trata de um caso de violência doméstica

MARIO CRUZ/LUSA

A mulher que foi atingida a tiro na nuca pelo marido, na noite de terça-feira em Bragança, e deu entrada nas urgências do hospital da cidade já se encontra ”livre de perigo” e pode ter alta esta quarta-feira, garantiu uma fonte da Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste à Lusa.

O comandante distrital da PSP, José Neto, citado pela TVI 24, contou que o casal chinês vive em Bragança há 16 anos e que ”não existe histórico de violência doméstica”. A mulher tem 53 anos e foi atingida com um ”disparo de uma arma adaptada” quando estavam em casa.

O alerta foi dado à PSP pelas 22.30 horas de terça-feira e a vítima foi transportada para o hospital de Bragança, onde, segundo a equipa médica, esteve com um ”quadro clínico estável”. O comandante contou ainda que “a vítima ajudou a perceber a situação” e as autoridades a chegar até ao marido, de 59 anos, que já foi detido pela PSP. O caso está agora entregue à Polícia Judiciária.

(notícia atualizada com o estado de saúda da mulher às 12.16 horas)

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)