Renault

É assim que a Renault faz um eléctrico barato

De dimensões muito compactas, mas com a tão em voga imagem de crossover e, não menos importante, barato. Estes são os (grandes) trunfos do primeiro Renault eléctrico destinado ao (pequeno) segmento A.

Tal como já aqui havíamos antecipado, a Renault aproveitou o Salão de Xangai, na China, para fazer a apresentação do seu primeiro eléctrico destinado ao segmento A, o City K-ZE, um modelo com dimensões próximas das de um Twingo, mas que adopta a tão apreciada estética mais aventureira, procurando conciliar a imagem de crossover com a vocação de citadino.

Embora a marca francesa faça desde já saber que se trata de um modelo “concebido na China para o mercado chinês”, tanto mais que será aí produzido, o certo é que a Renault faz também questão de definir o City K-ZE como um “automóvel mundial”. Entenda-se, mais cedo ou mais tarde, com mais ou menos alterações, também a Europa terá direito a um eléctrico acessível com o emblema do losango… Embora tenhamos dúvidas que, neste caso, o construtor gaulês se “atreva” a partir da base do Kwid, tal como acontece com este City K-ZE.

Para já, o construtor gaulês aponta baterias (literalmente) ao mercado asiático, propondo um “SUV urbano” com uma distância ao solo de 150 mm e que, embora tenha dimensões muito compactas, consegue oferecer uma bagageira com 300 litros de capacidade – valor que atira o eléctrico francês para o topo deste segmento. Para um termo de comparação, basta recordar que a volumetria máxima do Twingo, com as duas filas de bancos disponíveis, é de 219 litros.

A distância entre eixos do City K-ZE é de 2423 mm, ou seja, ligeiramente abaixo do Twingo que está à venda entre nós (2492 mm), mas as restantes medidas (comprimento, largura, altura) não foram reveladas. O mesmo acontece em relação à autonomia e ao pack de baterias, com a Renault a limitar-se a adiantar que os modos de carregamento para o pequeno eléctrico são compatíveis quer com uma tomada doméstica de 220V, quer com os postos de carga públicos. “Com carga rápida são necessários apenas 50 minutos para carregar de 0% a 80%. Num carregamento standard são precisas apenas 4 horas para obter uma carga de 100%”, avança o fabricante francês sem que, contudo, tenhamos dados para perceber se estes tempos são interessantes face ao alcance que proporcionam…

Em linha com as mais modernas propostas, o pequeno BEV da Renault oferece um interior onde tecnologia e conectividade são “convidadas” de honra, tendo como “porta de entrada” um ecrã táctil LCD multifunções de 8 polegadas a cores.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)