Rádio Observador

Videojogos

Conhece o “Assassin’s Creed”? O videojogo pode ajudar a reconstruir Notre Dame

A empresa responsável pelo design do jogo passou 2 anos a estudar a catedral. Por isso, os detalhes estão todos registados digitalmente. Mas não se sabe se estará disposta a divulgar essa informação.

O Assassin's Creed Unity é um videojogo da saga Assassin's Creed lançado em 2014 para a PS4, Xbox One e PC

Arno Victor Dorian é apenas uma personagem de ficção de um videojogo, mas é provável que conheça a Catedral de Notre Dame como ninguém. Tal como explica a publicação tecnológica The Verge, o protagonista deste jogo nasceu em 1768, mas foi em 2014 que ficou conhecido através do jogo “Assassin’s Creed Unity”, onde, entre outros edifícios de uma Paris iluminista, explora o monumento gótico de fio a pavio.

Desde então, milhões de pessoas acompanharam as aventuras virtuais de Arno Victor Dorian, o assassino que durante o século XVIII, em plena Revolução Francesa, conheceu pormenorizadamente Paris e que agora pode ser utilizada para o processo de reconstrução da Catedral de Notre Dame, que ardeu na passada segunda-feira.

Caroline Miousse, designer gráfica da empresa responsável pelo jogo, a Ubisoft, explicou que, para produzir o Assassin’s Creed, a empresa passou dois anos a estudar o edifício até ao mais ínfimo detalhe. Tudo para que o jogo ficasse fiel à realidade, à semelhança de outros título da série que passaram por cidades como Florença, Istambul ou Boston em vários períodos históricos. Ou seja, a informação sobre a arquitetura e pormenor da Catedral de Notre Dame está toda registada, digitalmente, neste videojogo.

Segundo o Business Insider, ainda não é sabido se o trabalho feito para reconstruir digitalmente a Notre Dame neste videojogo vai ser utilizado para a reconstrução deste monumento.

Para ajudar o monumento, a Ubisoft já prometeu que vai doar meio milhão de euros para a reconstrução deste. Além disso, durante esta semana a empresa de videojogos francesa está a disponibilizar gratuitamente aos utilizadores uma cópia digital do jogo para computador através da loja virtual da produtora.

Segunda-feira, depois do incêndio que devastou parte do monumento, o presidente Emmanuel Macron disse: “Juntos vamos reconstruir a Catedral”. Na quarta-feira, o primeiro-ministro francês anunciou um concurso internacional de arquitetura para a reconstrução do pináculo da catedral de Notre Dame.

Édouard Philippe, citado pelo The Guardian, explicou que o objetivo é “dar à catedral um novo pináculo adaptado às técnicas e desafios dos tempos”. Ainda não se conhece, no entanto, o montante total que irá exigir a recuperação do monumento com 856 anos de história. Sabe-se que o Governo francês já conseguiu angariar cerca de 880 milhões de euros com esse objetivo.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)