Uma rapariga de 20 anos foi encontrada na manhã desta quarta-feira seminua num jardim perto do Queimódromo, no Porto. Fonte da PSP do Porto disse à TVI que a jovem se encontrava despida da cintura para baixo e aparentemente estava embriagada e desorientada. Já ao final do dia, depois do caso ter passado para a alçada da PJ, uma fonte da Judiciária disse ao Observador que feitos os exames, não foram detetados “indícios de crime” e que a rapariga apresentava altos níveis de alcoolemia.

O jornal i conta, na sua edição desta quinta-feira, que a rapariga ter-se-á despido para receber bebidas grátis durante a festa da Queima das Fitas. Uma prática que, aliás, já levou a Federação Académica do Porto a tomar medidas depois de divulgados nas redes sociais vários vídeos com “comportamentos indevidos” e “indignos” de estudantes em troca de bebidas. Agora, se os responsáveis pelo evento detetarem práticas semelhantes, encerram as barraquinhas de venda de bebidas, noticia o Jornal de Notícias.

No caso da rapariga encontrada seminua, esta foi levada para o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, para perceber se teria sido violada, uma vez que apresentaria escoriações no corpo.

Fonte do INEM adiantou ao Observador que, após receber o alerta, encontrou a jovem “atrás de uns arbustos, junto às rulotes de comida”, “sem roupa da cintura para baixo”, e com “escoriações no corpo”, apresentando “alguns sinais de agressão”. A mesma fonte confirmou que a rapariga “estava consciente embora confusa e desorientada”, tendo sido assistida pelo Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise.

O alerta foi dado por populares pelas 6h39 e ao local dirigiram-se agentes da Esquadra da PSP de Custóias e uma ambulância do INEM.

Paula Carvalho, do departamento da comunicação do Pedro Hispano, confirmou ao Observador que a jovem estaria internada e aos cuidados daquela unidade hospitalar. Já a Federação Académica do Porto revelou ao Observador que “não compactua com este tipo de situações”. A organização ainda não sabe ainda se a jovem é estudante universitária, ou se estaria a participar na Queima das Fitas, apenas “tem a certeza” que foi encontrada “fora do perímetro do Queimódromo”, num jardim junto à Estada da Circunvalação, e que, por essa razão, “não está previsto” que a segurança ou o policiamento sejam reforçados nas três noites que restam no calendário da Queima das Fitas.

O caso foi entretanto entregue à Polícia Judiciária, responsável pela investigação de crimes sexuais. Fonte da PJ confirmou ao Observador que “até agora, depois de inquirir a jovem e após o contacto com o hospital, não há quaisquer indícios de prática de crime”, acrescentando que a jovem “apresentava níveis de alcoolemia elevados”.

(Artigo atualizado às 07h40 de 9 de maio)