O Metro do Porto vai testar um sistema de sensores para detetar quem não pagou bilhete, avança o Jornal de Notícias. Segundo a Hitachi Consulting, a empresa por detrás do projeto, os sensores vão “detetar ações, movimentos e direções dos utilizadores do serviço de transporte no seu percurso de acesso ao metro, sem invadir a privacidade”. Só não esclarece o que acontece se os sensores encontrarem um infrator.

Por enquanto, este sistema-piloto, que funciona à base de inteligência artificial, vai ser instalado apenas na estação da Casa da Música, no Porto. O sistema custa 100 mil euros e vai ser posto a funcionar até setembro. Depois de um período experimental, o Metro do Porto decidirá se quer utilizar o sistema de sensores em toda a rede ou apenas em algumas das 15 estações que constituem as linhas de metro da cidade.

Segundo o Jornal de Notícias, foi o próprio Metro do Porto que procurou ajuda junto das empresas tecnológicas para combater as infrações na aquisição de bilhetes — já que, nesta cidade, não há barreira física no acesso ao metro. A Hitachi Consulting participou no concurso através da plataforma digital de partilha de conhecimento da Inocrowd. Das 12 candidaturas, foi a escolhida pelo Metro do Porto e ganhou 15 mil euros por ter vencido o concurso.

*Artigo corrigido às 17h06. A Hitachi Consulting participou no concurso pela plataforma da Inocrowd.