Rádio Observador

Presidente Trump

Donald Trump vai impor mais sanções económicas ao Irão. “Vamos continuar a aumentar a pressão”

160

Esta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos anunciou na Casa Branca que vai impor novas sanções ao Irão. Objetivo é aumentar pressão e enfraquecer o poder económico do país.

Donald Trump assinou a imposição das sanções esta segunda-feira na Sala Oval da Casa Branca

MANDEL NGAN/AFP/Getty Images

Donald Trump já tinha anunciado a decisão de enfraquecer a economia do Irão, e está agora a levar a cabo as suas ideias. Esta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos afirmou na Casa Branca que vai impor novas sanções ao Irão, pela “conduta hostil do regime”, e num ataque dirigido ao líder supremo daquele país, Ayatollah Ali Khamenei. A informação é avançada pelo New York Times.

Vamos continuar a aumentar a pressão a Teerão. O Irão nunca conseguirá  ter uma arma nuclear”, afirmou Trump.

O objetivo da medida é enfraquecer o poder económico do Irão e impedir que os líderes do país tenham acesso a instrumentos financeiros. “As sanções impostas através de ordem do Governo… vão negar ao Líder Supremo e ao seu executivo, e a todos os que lhe forem próximos, acesso a recursos e apoios financeiros chave”, explicou Trump, citado pela Reuters. A Casa Branca quer ainda forçar Teerão a falar sobre os seus programas nucleares e atividades militares naquela região.

Trump diz que Ali Khamenei é o responsável pela “conduta hostil do regime” do Irão e afirma que as sanções iriam ser impostas mesmo que o incidente com o drone não tivesse ocorrido. Por sua vez, o Irão responde que as sanções “não vão ter consequências”.

Na sequência do drone norte-americano abatido pelo regime de Ali Khamenei, os EUA lançaram ciberataques contra sistemas de disparo de mísseis e redes de espionagem iranianas. O Irão afirma que os ataques não tiveram sucesso.

Os Estados Unidos apontam o dedo a Teerão pelo ataque a dois petroleiros no Golfe Pérsico. O Irão nega a responsabilidade. Washington já anunciou que está a formar uma “aliança” para proteger embarcações que se encontrem naquela zona marítima.

Pacote suspeito nas imediações da Casa Branca

No mesmo dia em que Trump anunciou as medidas, a Casa Branca foi encerrada devido a um “pacote suspeito” que foi colocado na Pennsylvania Ave, a morada da residência oficial do presidente dos EUA. O incidente ocorreu na manhã desta segunda-feira e foi noticiado pelo Independent.

Vários jornalistas que estavam no local foram obrigados a refugiar-se na sala de conferências de imprensa da Casa Branca. “Estamos literalmente fechados aqui. Não conseguimos ver muito, mas os Serviços Secretos passaram a correr no relvado”, escreveu no Twitter uma jornalista.

Este é a segunda vez em menos de uma semana que a Casa Branca é sujeita a um “lockdown“. Na quarta-feira, um homem tentou saltar a vedação da Casa Branca e largou uma mochila suspeita nas redondezas do local. A residência foi encerrada e o suspeito foi detido pelas autoridades.

Atualizado às 18h00

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brasil

Em nome do Brasil, peço desculpas /premium

Ruth Manus

Não, eu não elegi este governo. Mas o meu país o fez. Parte por acreditar na política do ódio, parte por ignorância, parte por ser vítima das tantas fake news produzidas ao longo do processo eleitoral

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)