Larry Sanger, um dos dois fundadores da Wikipedia, a enciclopédia online mais utilizada em todo o mundo, escreveu um post na sua página de Internet na qual apela a um boicote às redes sociais a 4 e 5 de julho. A greve a plataformas como o Facebook e Instagram é direcionada a “pessoas com mágoas graves contra as redes sociais”.

Para quem aderir o objetivo deste boicote é não utilizar a redes sociais durante estes dois dias “exceto para publicar notícias a dizer que se está em greve”, escreve Sanger. O cofundador da Wikipedia escreve também que quer pedir de volta o controlo dos “dados, privacidade e experiência do utilizadores” às “gigantes organizações manipuladoras”.

Sanger espera que esta greve mude a forma como todas as redes sociais lidam com os utilizadores e devolvam mais controlo aos seus dados. Outro dos pedidos do cofundador da Wikipedia, que saiu deste projeto pouco depois de o ter começado, é direcionado a quem lidera as redes sociais para que permitam que exista mais sinergias entre a informação entre cada uma delas.

No post de apelo ao boicote, Sanger deixa ainda outro apelo para quem quiser aderir a esta iniciativa para assinar a Declaração de Independência Digital, um documento que criou a pedir para as redes sociais respeitarem mais “a liberdade de expressão, privacidade e segurança” dos utilizadores.