Rádio Observador

Agricultura

Governo cria linha de crédito de 1 milhão de euros para agricultores de Mogadouro afetados pelo granizo

Setecentos agricultores foram afetados em todo o concelho do Mogadouro. A linha de crédito terá quatro anos de duração e um ano de carência e vai financiar culturas afetadas pelo granizo.

Granizo caiu em Mogadouro, Bragança, no dia 13 de julho no seguimento de uma trovoada

FRANCISCO PINTO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O secretário de Estado da Agricultura anunciou esta segunda-feira uma linha de crédito de um milhão de euros para apoiar os agricultores que tiveram prejuízos com o granizo que caiu no concelho de Mogadouro a 13 de julho.

“Esta linha de crédito terá quatro anos de duração e um ano de carência. O que significa que no primeiro ano não haverá amortização de capital, havendo apenas pagamentos de juros. Esta linha de crédito de um milhão de euros é garantida pelo Estado”, explicou à Lusa Luís Vieira.

No concelho de Mogadouro, a trovoada seguida de granizo, no último dia 13 de julho, afetou 700 agricultores em todo o concelho, numa área de cerca de mil hectares de produções agrícolas diversas.

O governante disse que esta linha de crédito é extensível não só aos produtores de vinha, mas também ao amendoal e olival, ou outras culturas permanentes que foram afetadas.

Contudo, o secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, na sua deslocação a Mogadouro, no distrito de Bragança, vincou que o caminho que os agricultores têm de fazer para proteger as suas explorações é apostar nos seguros agrícolas. Luís Vieira disse à Lusa que o Governo “não se esqueceu do interior no que toca a apoios à agricultura” e aponta números dos últimos três anos.

“Os agricultores de todo o distrito de Bragança, nos últimos três anos, receberam apoios de 300 milhões de euros, o que dá uma média de 100 milhões de euros por ano. O concelho de Mogadouro, desses 300 milhões de euros, recebeu nesses três anos 40 milhões de euros, que dá 13 milhões de euros anualmente. No ano de 2019, o montante será praticamente idêntico “, contabilizou o secretário de Estado.

Outro dos enfoques da visita do secretário de Estado da Agricultura e Alimentação foram os seguros de colheitas, um mecanismo apoiado pelo Estado há mais de 15 anos, “onde se tem registado um aumento de adesão por parte dos agricultores”.

“O seguro de colheitas assenta em duas vertes: há o seguro individual e o seguro coletivo. No caso do seguro à vinha, o apoio do Estado é de 75% a fundo perdido, se for coletivo. Se for individual, é de 65%. Se um agricultor fizer um seguro de mil euros através de uma cooperativa, 750 euros são subsidiados pelo Estado”, enfatizou o responsável. Para Luís Vieira, como a agricultura é uma atividade praticada a céu aberto, estes apoios são “generosos”.

Carlos Conde, um vitivinicultor de Ventozelo, no concelho de Mogadouro, disse que tem seguros de colheita e que são uma boa opção quando acontece uma intempérie desta natureza.

No entanto, o vitivinicultor só se queixa do atraso nas peritagens por parte das seguradoras, mas mostrou confiança que elas aconteçam na próxima semana.

Já Manuel Pires, vitivinicultor em Mogadouro, queixa-se dos estragos causados em mais de 33 hectares de vinha e disse que foi adiando a questão do seguro de colheitas, devido à reconversão das suas propriedades.

“Estávamos à espera de uma colheita de 250 toneladas de uvas. Os estragos estão situados em mais de 30% da total da produção. Quanto aos seguros de colheitas, há vários anos que ando para o fazer. O seguro é caro mas tem de ser feito para não haver percalços. Quanto à linha de crédito, é benéfica e talvez vá precisar de cerca de 30 mil euros”, observou o agricultor.

O presidente da câmara de Mogadouro, Francisco Guimarães, disse que o Governo respondeu em parte às solicitações. “Os agricultores têm de estar mais atentos aos seguros de colheitas. Contudo, estivemos sempre ao lado dos agricultores, mas temos de trabalhar, sempre, com mecanismo legais”, frisou o autarca. De acordo com o autarca, as pedras de granizo que caíram no dia 13 de julho eram quase do tamanho de ovos de galinha.

A Direção Regional de Agricultura e o município de Mogadouro promoveram de imediato um apoio de 15 euros por hectare, destinados ao tratamento inicial e preventivo para evitar a perda total da colheita em cerca de mil hectares de vinha afetados pelo mau tempo.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)