Rádio Observador

Itália

A polémica “campanha” de Salvini de tronco nu na praia: cocktails, festas e atuações como DJ

563

O ministro do Interior está a passar duas semanas nas praias, numa "Beach Tour" em jeito de campanha depois de exigir eleições antecipadas. Salvini já surgiu em tronco nu e a fazer de DJ em festas.

Matteo Salvini esteve numa festa de praia num resort da costa italiana

Dragrar32/Twitter

Matteo Salvini, ministro do Interior italiano e líder do partido de extrema-direita Liga, que pediu eleições antecipadas na quinta-feira, tem estado desde o início de agosto numa tourné por várias praias em Itália. Dias antes, dissera que não queria tirar férias. Mas, agora, trocou mesmo o assento no governo pelo fato de banho e vários analistas defendem que a “beach tour” — assim denominou a Liga esta passagem pela costa italiana — é um ato de campanha eleitoral.

Num resort da praia Papeete, Salvini tirou fotos em tronco nu com apoiantes, bebeu cocktails, dançou e até fez de DJ numa festa. Chegou também a passar o hino nacional italiano, enquanto as pessoas que estavam na festa dançavam e gritavam em euforia. Quem esteve presente divulgou nas redes sociais fotografias e vídeos do ministro a atuar e a conviver com festivaleiros.

A advogada e secretária de Estado francesa Juliette Méadel partilhou uma das imagens no Twitter e escreveu: “Eu prefiro o Salvini a fazer de DJ nas praias do que como ministro, e vocês?”

Também Matteo Salvini partilhou imagens das “férias” nas redes sociais e mostrou uma fotografia com o ex-treinador da equipa de futebol AC Milan Arrigo Sacchi.

Pelo meio, o líder da extrema-direita italiana tem dado conferências de imprensa e já fez discursos em comícios. Numa das conferências, insultou e chamou “pedófilo” a um jornalista que filmou o filho de 16 anos do ministro a andar numa mota de água da polícia.

A tour vai durar duas semanas, escreve o The Guardian. Salvini vai passar por Abruzzo e Molise, zonas do interior, e pela costa sul italiana, em Puglia, Basilicata, Calábria, Sicília e Campania.

A oposição de Salvini tem criticado o comportamento do ministro nas praias por onde tem passado. “Salvini está a escolher praias e não locais de trabalho porque durante o verão ninguém quer ver imagens de sofrimento, que, infelizmente, têm sido uma constante desde que este governo começou”, disse Salvatore Margiotta, membro do partido democrata. Margiotta diz que a estratégia do líder da extrema direita pode mesmo resultar: “Ele depende de uma máquina de propaganda brilhante, onde se projeta como um homem comum, inimigo da elite, enquanto usa um palco com música e cor. Infelizmente, o povo italiano vai acabar por pagar”, acrescentou.

“Certas imagens incomodam. (O hino só pode tocar) em determinas circunstâncias e sobretudo com o devido comportamento”, disse ainda Gianfranco Paglia, alto militar das forças armadas, citado pelo El País.

Esta “campanha” surge numa altura em que o líder da extrema-direita exige que sejam convocadas eleições antecipadas em Itália. Salvini deu a coligação entre os dois partidos que compõem o governo — os esquerdistas do Movimento Cinco Estrelas (M5S) e o Liga — como colapsada e revelou que disse ao primeiro-ministro que chegou a hora de devolver a “palavra aos eleitores”. O resultado das últimas sondagens mostra que o Liga lidera na intenção de voto, com 38%, enquanto o M5S ronda os 17%.

Ainda na segunda-feira, o governo italiano aprovou um polémico diploma do ministro do Interior, que estabelece multas às organizações não governamentais que salvam vidas no Mediterrâneo. O diploma foi apresentado como uma moção de confiança ao executivo. O decreto foi aprovado definitivamente no senado com 160 votos a favor, 57 contra e 21 abstenções. O eventual chumbo do diploma teria provocado a queda do governo. 

O partido italiano de extrema-direita Liga também já anunciou que vai apresentar uma moção de censura ao primeiro-ministro, Giuseppe Conte. “Demasiados ‘nãos’ prejudicam a Itália, que precisa voltar a crescer e voltar a votar rapidamente. Quem perder tempo prejudica o país”, refere Salvini num comunicado divulgado pelo partido.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Global Shapers

Imigrantes, sejam bem-vindos 

Hugo Menino Aguiar

Olhar apenas para migrações como estratégia para compensar o envelhecimento da população não é razoável mas é uma parte importante da solução e representa oportunidades óbvias que devemos explorar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)