Rádio Observador

Banco Espírito Santo

Credores do BES têm até esta segunda-feira para impugnarem lista de créditos reconhecidos

Foram reconhecidos créditos no valor de 5.057 milhões de euros, pertencentes a 4.955 credores. Podem impugnar os credores que não viram os seus créditos reconhecidos, mas também credores reconhecidos.

Já passaram cinco anos da aplicação da medida de resolução, em 3 de agosto de 2014

LUSA

Os credores do BES têm até esta segunda-feira para impugnarem a lista de créditos reconhecidos pela comissão liquidatária do banco, um processo que faz parte da liquidação do BES quando já passaram cinco anos da resolução.

Em 31 de maio, a comissão liquidatária do Banco Espírito Santo (BES) entregou no Tribunal de Comércio de Lisboa as listas dos credores reconhecidos e não reconhecidos, tendo reconhecido créditos no valor de 5.057 milhões de euros (2.221.549.499,00 euros de créditos comuns e 2.835.265.089,00 euros de créditos subordinados) pertencentes a 4.955 credores.

Já 21.253 credores viram as suas reclamações recusadas, não tendo por isso os respetivos créditos sido reconhecidos.

O que a comissão liquidatária faz é uma proposta e a decisão caberá ao tribunal, pelo que durante um mês (desde 2 de agosto) e até esta segunda-feira tem lugar a fase de impugnação. Podem impugnar os credores que não viram os seus créditos reconhecidos, mas também credores reconhecidos – neste caso, podem reclamar por não concordarem, por exemplo, com os valores reconhecidos ou com a categorização dos créditos. Podem ainda reclamar uns credores face ao reconhecimento de outros credores.

Depois desta fase, a comissão liquidatária do BES terá até 3 de outubro para fazer contestação das reclamações. Não há depois um período definido para o tribunal se pronunciar, podendo haver mesmo matéria para julgamento.

Esta fase do reconhecimento de créditos faz parte do processo de liquidação do BES, que continua a arrastar-se quando já passaram cinco anos da aplicação da medida de resolução, em 3 de agosto de 2014.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crise no GES

O número da Besta

José Miguel Pinto dos Santos

Vale a pena recordar o que se passou na Assembleia Geral do BES de Março de 2009 e como nela o conselho de administração iludiu os pequenos accionistas com o beneplácito da CMVM. É toda uma lição.

Segurança Social

A dívida implícita de Portugal

José Marques

Nos últimos 40 anos, período no qual se deu a maioria da acumulação desta dívida implícita, houve uma acumulação média, silenciosa, de dívida equivalente a mais de 10% do PIB por ano.

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)