O PS de António Costa continua a liderar, mas o PSD de Rui Rio está mais próximo dele. Esta é uma das conclusões da sondagem diária da Pitagórica feita para o JN, TSF e TVI e que foi divulgada esta quarta-feira. Os dois candidatos, segundo os resultados, aparecem, assim separados por apenas 7,5 pontos percentuais. Já quanto aos restantes partidos, não há grandes alterações: o Bloco de Esquerda surge em terceiro (10,5%), segue-lhe a CDU (6,8%), o CDS (4,4%) e, muito perto, o PAN (3,7%).

Nos pequenos partidos do Centro Direita: o Iniciativa Liberal ganha alguma tração (1,2%), ao mesmo ritmo que a perde o Aliança (0,5%), escreve o JN. Mais à Esquerda, o Livre chega aos 0,9%.

Para a sua tracking poll diária, a Pitagórica recolheu, entre 20 e 23 de setembro, uma amostra de 600 pessoas e este resultado refere-se a uma subamostra de 150 entrevistas representativa do universo eleitoral português, tendo por base o género, a idade e a região. Dessas entrevistas, conclui-se que em pleno arranque da campanha eleitoral a diferença entre os maiores partidos caiu para metade: no sábado era de 14 pontos percentuais, esta terça-feira, e já depois dos debates entre os candidatos na segunda-feira, está em 7,5 pontos esta terça-feira.

Quando se analisam as intenções de voto diretas (sem distribuição de indecisos) percebe-se que, no que diz respeito aos escalões de rendimento, quanto menor é o rendimento do eleitor, maior é o apoio a Costa. Já Rui Rio reúne consenso de quem mais aufere.

Quanto à idade, entre os que têm 55 ou mais anos, o PS tem mais 10 pontos que o PSD. Mas a diferença já foi de 20 pontos. Os sociais-democratas só lideram entre os eleitores dos 45/54 anos (dois pontos).

Relativamente à divisão geográfica, o PS parece recuperar a região Norte pelo PS (ainda que seja por apenas um ponto percentual). Ao contrário, é notória a aproximação do PSD nas regiões do Porto e do Centro (a um ponto da liderança). Em Lisboa Costa mantém-se 13 pontos à frente de Rio, analisa o JN.