O Partido Social-Democrata (PSD) e o CDS – Partido Popular (CDS–PP) já chegaram a acordo para formar Governo na Madeira. O compromisso, revelado pelo Diário de Notícias Madeira, surge na sequência dos resultados das últimas eleições regionais, que deram ao PSD o estatuto de partido mais votado mas que o fizeram perder a maioria absoluta com que governava há 43 anos.

O vice-presidente do Governo Regional da Madeira, Pedro Calado (PSD), anunciou o compromisso, que define “as linhas orientadoras e estratégicas para um acordo político para 2019-2023”. A declarações surgiu após uma reunião entre equipas negociais dos dois partidos que decorreu no Hotel do Castanheiro, no Funchal. O acordo sobre os moldes da coligação fou também alcançado e será agora discutido internamente pelos militantes e estrutura dos dois partidos.

Um acordo parlamentar, um acordo governativo e um acordo partidário, na forma de estar e representar os partidos neste mandato. É um acordo que legitima e tem representados todos os interesses das Madeira e do Porto Santo”, apontou Pedro Calado, segundo o DN Madeira.

Já Teófilo Cunha, que serviu de porta-voz do CDS-PP, alertou ao jornal madeirense que é necessário “ser humilde e perceber que há um partido que teve mais votos que outro”, mas que juntos PSD e CDS conseguiram uma “maioria parlamentar estável para quatro anos”.