Os votos dos portugueses residentes no estrangeiro são contabilizados esta quarta-feira, no Pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa, ficando atribuídos os mandatos dos círculos da Europa e fora da Europa, tradicionalmente divididos entre PS e PSD.

O número de eleitores registados no estrangeiro ascende a 1.466.754, e a esmagadora maioria – 1.464.514 – optou pela votação pela via postal.

Em 2015, os eleitores residentes no estrangeiro eram cerca de 300 mil, mas o recenseamento automático elevou o registo para mais de 1,4 milhões. Deste total, apenas 2.240 preferiram votar presencialmente nos consulados, 204 no círculo da Europa e 2.036 no círculo fora da Europa. Para tal, foram disponibilizados 79 locais de voto. Quem optou pelo voto via postal, deveria ter enviado o boletim até 6 de outubro, dia da eleição, documento que tinha de chegar a Portugal até esta quarta-feira.

A contagem dos votos e apuramento dos resultados que vão eleger quatro deputados – dois pelo círculo da Europa e dois pelo círculo fora da Europa – vai decorrer no Pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa, local onde está montada a Assembleia de Recolha e Contagem dos Votos.

A abstenção nos círculos da emigração é tradicionalmente muito alta. Em vários países, foram registados problemas no envio dos boletins. De acordo com o mais recente relatório da Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna, até terça-feira foram recebidas “147.154 cartas resposta” remetidas pelos eleitores emigrantes.

As eleições legislativas de 6 de outubro foram ganhas pelo PS, que, apurados os círculos do território nacional, conseguiu 1,8 milhões de votos (36,65%). Este resultado valeu ao partido um grupo parlamentar com 106 deputados. Os quatro mandatos dos círculos pela emigração têm sido disputados ao longo dos anos por PS e PSD.