A Volvo, que se destaca por ser o primeiro fabricante a oferecer versões híbridas plug-in em toda a sua gama, acaba de entrar no “reino” dos modelos puramente eléctricos com a apresentação do XC40 a bateria que, para se destacar das demais versões animadas por motores a combustão, é chamado Recharge. A designação, aliás, doravante estender-se-á a todas as propostas 100% eléctricas ou híbridas plug-in do construtor sueco.

Nos próximos cinco anos, a Volvo pretende lançar um novo modelo eléctrico a cada ano. Tudo para que, em 2025, metade das vendas sejam asseguradas por estes novos lançamentos, ficando a outra metade “reservada” aos híbridos.

Nesta nova estratégia ambiental, que também é uma estratégia de negócio, o fabricante de Gotemburgo dá o pontapé de saída com um dos seus SUV mais vendidos globalmente. Face ao XC40 convencional, a variante Recharge exibe pequenas alterações estilísticas, a começar pelo facto de a grelha frontal ser fechada e na cor da carroçaria, tal como os teasers já tinham antecipado.

Confirma-se ainda a frunk sob o capot da frente e mais opções em termos de personalização. De série, o tejadilho é preto, mas o contraste pode ser enfatizado mediante a combinação com uma de oito cores exteriores, onde se inclui a nova Sage Green metallic. Quanto às jantes, é escolher entre as de 19 polegadas ou as de 20.

6 fotos

Mais importante do que a estética é o conjunto eléctrico que anima o SUV sueco. O XC40 Recharge percorrerá mais de 400 km (WLTP) com uma carga completa, impulsionado por dois motores eléctricos (um por eixo), o que lhe assegura tracção às quatro rodas motrizes, com a potência conjunta a cifrar-se nos 408 cv e 660 Nm de binário máximo. O acumulador possui uma capacidade de 78 kWh (75 úteis) e a Volvo garante que bastarão 40 minutos para ir de 0 a 80% num posto de carga rápida a 150 kW. A velocidade máxima está limitada a 180 km/h e os 0-100 km/h cumprem-se em 4,9 segundos.

Quanto ao interior, não há surpresas. Tal como aqui antecipámos, o sistema de infoentretenimento é novo e com suporte Android, o que oferece ao condutor a possibilidade de tirar partido do Google Maps, Google Assistant e PlayStore, sendo as actualizações efectuadas over-the-air.