O oceanógrafo norte-americano Robert Ballard, que encontrou em 1985 os destroços do navio de passageiros Titanic, empreendeu uma expedição em busca das ossadas da aviadora Amelia Earhart, que desapareceu em 1937 no Pacífico Sul, foi esta terça-feira divulgado.

A expedição, que será tema de um documentário a exibir pelo canal National Geographic em 3 de novembro, procurou vestígios em terra, seguindo pistas que poderão levar à localização dos restos mortais da aviadora norte-americana, que foi a primeira mulher a atravessar o oceano Atlântico em solitário. Paralelamente, foram feitas buscas no mar.

Robert Ballard seguiu também as pistas deixadas nos últimos 30 anos pelo investigador de acidentes de avião Ric Gillespie e pelo Grupo Internacional para a Recuperação de Aeronaves Históricas.

As pistas conduziram o oceanógrafo a Nikumaroro, uma ilha de coral na República de Kiribati, no sul do Oceano Pacífico, onde Amelia Earhart e o copiloto Fred Noonan terão desaparecido misteriosamente quando tentavam dar a volta ao mundo.

Ballard reuniu um grupo de cientistas, técnicos e peritos para uma viagem de um mês, que partiu em 7 de agosto de Samoa em direção a Nikumaroro.

O documentário da National Geographic aprofunda a história da aviadora e de como se tornou numa das figuras mais intrigantes da história da aviação.

Pioneira da aviação, Amelia Earhart (1897-1937) voou sozinha sobre o Atlântico em 1932.