A sede da Lusorecursos, em Montalegre, foi vandalizada na madrugada desta quinta-feira com o desenho de uma cruz suástica, anunciou à Lusa fonte da empresa que tem contrato para a exploração de lítio na região.

“Consideramos este um ato de vandalismo lamentável. O funcionário apercebeu-se da situação quando chegou à sede e já apresentou queixa na Guarda Nacional Republicana (GNR)”, afirmou a fonte.

Segundo a mesma fonte da Lusorecursos Portugal Lithium, S.A, que tem sede na Junta de Freguesia de Montalegre, no distrito de Vila Real, foi desenhada uma cruz suástica na placa com o nome da empresa numa das paredes do edifício.

A empresa, que assinou em março o contrato de concessão com o Estado para a mina de lítio em Morgade, anunciou um plano de negócios de 500 milhões de euros, a criação de cerca de 500 postos de trabalho e a implementação de uma unidade industrial.

Esta freguesia do concelho de Montalegre agrega as aldeias de Morgade, Rebordelo e Carvalhais.

Vários movimentos populares e de associações têm sido criados e realizado várias ações de protesto no combate à exploração de lítio, quer na região, quer em outros pontos do país.