CO Papa Francisco recebeu terça-feira, no Vaticano, o Presidente angolano, João Lourenço, numa audiência privada que deu “especial atenção” aos esforços para o desenvolvimento e à manutenção da paz social.

“Durante as cordiais conversações, nas quais foram enfatizadas as boas relações entre a Santa Sé e Angola e a apreciada contribuição da Igreja Católica em muitos setores da sociedade, foi dada especial atenção a alguns aspetos do acordo bilateral assinado no Vaticano, em 13 de setembro passado”, refere uma nota oficial, divulgada pela Igreja Católica.

Este acordo, assinado pela Santa Sé e pela República de Angola, define um quadro jurídico das relações entre os dois Estados, reconhecendo a personalidade jurídica pública da Igreja Católica e das suas instituições.

Durante a manhã, o subsecretário do Vaticano para as Relações com os Estados, Miroslaw Stanislaw Wachowski, reuniu-se com o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Domingos Augusto.

Segundo a agência Ecclesia, João Lourenço ofereceu ao papa “um quadro que representa uma mãe e uma filha, em trajes tradicionais”.

De acordo com a Presidência angolana, estavam previstas conversas sobre “o fenómeno das migrações, o comércio livre, a liberdade de expressão e afirmação da fé pela livre escolha, e o direito dos católicos, em particular em Angola”.

Para quarta-feira está prevista uma homenagem do chefe de Estado angolano ao primeiro embaixador do Reino do Congo no Vaticano, sendo que Lourenço deverá depositar uma coroa de flores na sepultura de António Manuel Nvunda ‘Negrita’.

Na segunda-feira, João Lourenço encontrou-se com o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, no dia em que Angola assinou os 44 anos de independência. O chefe de Estado português está a realizar uma visita de Estado a Itália que termina na quarta-feira.