A General Motors (GM) estava vendedora de uma fábrica que possui no Ohio, para a qual não tem de momento grande necessidade. Para evitar despedimentos e indemnizações, queria incentivar a venda. E arranjou uma forma tão curiosa quanto agressiva: garantia um empréstimo avultado a quem se ficasse com as instalações.

Desde meados de 2018 que a GM tentava encontrar um comprador para esta unidade industrial. Mais recentemente “apimentou” a proposta, visando sobretudo novos fabricantes, muitos deles startups de veículos eléctricos, em busca de um local onde produzir os seus modelos. A GM propôs um financiamento de até 50 milhões de dólares a quem ficasse com a fábrica que ultimamente produziu o Chevrolet Cruze.

5 fotos

Uma das empresas que se interessou pela linha de Ohio foi a Lordstown Motors, que pretende produzir a pick-up eléctrica Endurance com componentes licenciados à Workhorse. Não abundam os dados sobre a Endurance, uma vez que o segredo é a alma do negócio, mas tudo indica que se trata de uma pick-up com quatro rodas motrizes e um preço de 50.000 dólares. Sabe-se também que Steve Burns, o CEO da Lordstown, está decidido a começar a fabricar até ao final do ano e pretende empregar 450 funcionários.

Documentos que se tornaram públicos revelaram que a GM concedeu à Lordstown um empréstimo de 40 milhões de dólares, que a Lordstown juntou a outro de 450 milhões que já tinha garantido através do banco de investimento Gibbons Lang & Co. O mais curioso é que a GM, que também pensa lançar em breve a sua primeira pick-up eléctrica, ajudou um rival a avançar mais rapidamente com uma proposta concorrente. O tempo dirá se estamos perante mais um adversário à altura, tanto mais que a GM tem opção de comprar de novo a fábrica ao seu novo proprietário, de acordo com o Detroit Free Press.