O mau tempo nos Açores está a afetar esta quarta-feira de manhã as ligações aéreas no arquipélago, devido à passagem da depressão “Elsa”, obrigando ao cancelamento de algumas viagens entre as ilhas, assim como o voo entre Lisboa e o Faial, informou a companhia aérea SATA. A passagem da depressão Elsa originou esta quarta-feira de madrugada um total de seis ocorrências, metade das quais quedas de árvores, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

O porta-voz da SATA, António Portugal, adiantou à agência Lusa que, “devido às condições meteorológicas nas Flores, foi cancelado o voo entre Ponta Delgada e aquela ilha” açoriana, afetando “63 passageiros que serão reencaminhados logo que o tempo o permita”. António Portugal adiantou ainda que foi também cancelada esta manhã a ligação Horta/Flores/Horta, com 77 passageiros.

O mau tempo que está a afetar os Açores também originou esta manhã o cancelamento da ligação Lisboa/Horta/Lisboa da Azores Airlines — ramo da SATA que opera de e para fora do arquipélago -, com um total de 239 passageiros que serão acomodados num voo na quinta-feira, referiu o porta-voz da transportadora.

Segundo o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, na ilha de São Miguel, no concelho da Povoação, há a registar a queda de uma árvore na estrada regional das Furnas, enquanto em Vila Franca do Campo, na freguesia da Ribeira Seca, os bombeiros foram chamados a intervir no quintal de uma habitação devido à chuva.

No concelho de Ponta Delgada o mau tempo provocou, esta madrugada, a queda de uma árvore num caminho florestal nos Remédios da Bretanha, disse a mesma fonte da Proteção Civil dos Açores, acrescentando que “em São Jorge, no concelho da Calheta, há a registar o desabamento do alpendre de uma habitação”.

O mau tempo originou também a queda de um andaime e de uma árvore no concelho de Angra do Heroísmo, na Terceira. De acordo com a Proteção Civil, “não há desalojados, nem registo de vítimas”.

A instabilidade associada à depressão Elsa está a provocar nos Açores precipitação por vezes forte, além do aumento da intensidade do vento e da forte agitação marítima, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Prevê-se que até quinta-feira o vento sopre forte com rajadas entre 100 e 120 quilómetros por hora do quadrante oeste e forte agitação marítima, com ondas de altura significativa entre seis e nove metros de oeste/noroeste. A previsão de agravamento é válida até às 18h de quinta-feira.