Uma mulher fez-se passar por um adolescente de 16 anos para abusar sexualmente de raparigas. Gemma Watts, de 21 anos, deu-se como culpada de sete crimes contra adolescentes de 14 e 15 anos, mas a polícia acha que pode haver entre 20 a 50 vítimas. A sentença será conhecida esta sexta-feira.

De acordo com a BBC e o Telegraph, que citam a polícia inglesa, Watts apresentava-se como “Jake Waton”, de 16 anos, nas redes sociais, através das quais entrava em contacto com raparigas com idades entre os 14 e os 16 anos. A mulher de 21 anos, que chegou a ter uma “carreira promissora no futebol”, utilizava fotografias suas nos perfis de Snapchat e Instagram , sendo que, muitas vezes, prendia o cabelo num boné e usava calças de fato de treino largas e uma camisola de capucho para se assemelhar mais a um adolescente.

Falava com as vítimas por mensagem, através das redes sociais, e por telefone, chegando mesmo a trocar fotografias íntimas com as adolescentes. A mulher vivia com a mãe no Norte de Londres e viajou por todo o país para se encontrar com as vítimas. Em algumas casos, chegou mesmo a conhecer os pais das adolescentes e ninguém desconfiou que não se tratava de um jovem de 16 anos.

Phillipa Kenwright, da Polícia Metropolitana, explicou que todas as adolescentes”acreditavam que tinham uma relação com um rapaz” e foram “totalmente enganadas”.

Para muitas das vítimas, era o primeiro relacionamento”, afirmou a detetive, acrescentando que as adolescentes eram “bastante inocentes”.

Aliás, Gemma Watts enganou a própria polícia. A mulher foi interrogada pela Polícia Metropolitana, em julho de 2018, depois de um médico de Hampshire ter alertado a polícia local, meses antes, de que uma doente sua estaria numa relação com um rapaz mais velho. Nessa altura, disse que era “Jake” e que tinha estado envolvida sexualmente com três vítimas.

Enquanto decorria a investigação, foi libertada, mas foi detida novamente em outubro do mesmo ano, pela Polícia britânica de Transportes, quando estava a viajar de comboio com uma quarta rapariga, que tinha sido dada como desaparecida pelos pais. Só nessa altura, quando estavam levar a mulher a casa, é que se aperceberam de que não era um rapaz.

Gemma Watts foi acusada em setembro e deu-se como culpada de sete crimes — entre os quais abuso sexual e assédio — contra quatro vítimas, uma de 14 anos e três de 15 anos. A polícia identificou sete vítimas, mas, segundo a detetive da Polícia Metropolitana, o número de vítimas poderá rondar os 20 e os 50.

A sentença será lida na tarde desta sexta-feira.