Duas temporadas e meia, 136 encontros oficiais, 63 golos, quase tantas assistências, três títulos, o recorde de médio com mais remates certeiros numa temporada entre as principais ligas europeias entre vários registos máximos superados em Alvalade sobretudo em 2018/19. Bruno Fernandes foi a quarta contratação de sempre do Sporting mas tornou-se em paralelo o investimento mais rentável do clube que, após ter desembolsado 8,5 milhões de euros (mais 500 mil por objetivos), tenta fazer do médio a maior venda dos leões e a segunda maior em Portugal, apenas superado pelos 126 milhões de euros de João Félix quando trocou o Benfica pelos espanhóis do Atl. Madrid. No entanto, ainda não é líquido quando, como e para onde será feito esse negócio.

“Se não sair agora, de certeza que vai sair no verão porque o Sporting já falou com outros clubes. Alguma coisa irá acontecer mas não estou certo se será agora ou no final da temporada”. Jorge Mendes, um dos agentes que está a intermediar a possível venda de Bruno Fernandes para o Manchester United, falou esta quarta-feira à Sky Sports À margem de um encontro da Associação Mundial de Agentes de Futebol e deu já como certo o negócio do internacional português, ficando apenas por saber quando haverá “fumo branco”.

Depois de ter visto recusada uma primeira proposta da Premier League recusada este verão pelo Sporting, quando o Tottenham ofereceu 45 milhões de euros mais 20 milhões por objetivos coletivos entre o Campeonato e a Liga dos Campeões, Bruno Fernandes, que nunca negou a ambição de jogar em Inglaterra, acabou por ver o Manchester United acelerar o interesse depois de uma última observação do médio no clássico em Alvalade frente ao FC Porto e numa altura em que Paul Pogba voltou a lesionar-se com alguma gravidade.

Apesar de ter colocado como fasquia os 70 milhões de euros, Frederico Varandas, presidente do Sporting, aceitou uma base que propunha os 60 milhões de euros fixos mais dez milhões variáveis consoante obtenção de objetivos desportivos, sendo negociado em paralelo a cedência temporária de jogadores dos red devils. A questão dos atletas acabou por cair: os verde e brancos queriam nomes com salários demasiado elevados, os ingleses pretendiam cedências sem tanto interesse desportivo. Todavia, ambas as partes ainda não chegaram a acordo.

O Manchester United terá apresentado apenas uma proposta formal até ao momento: 50 milhões de euros de valor fixo e mais 20 milhões em variáveis, algumas delas com uma probabilidade baixa de cumprimento como o facto de Bruno Fernandes poder tornar-se Bola de Ouro. O Sporting terá recusado essa oferta, não querendo abdicar da verba fixa inicialmente pedida. Os red devils estarão agora a ponderar uma de três possibilidades, de acordo com as informações que têm vindo a ser divulgadas em Inglaterra: 60 milhões fixos com cinco de variáveis; 55 milhões fixos com 15 de variáveis; ou manter a mesma proposta mas com outros moldes e prazos de pagamento.

De recordar que, além de Miguel Pinho, agente do internacional, também o empresário Jorge Mendes fez parte das negociações. Caso esse valor fixo chegasse mesmo aos tais 60 milhões de euros pedidos pelo Sporting, o clube verde e branco deverá ficar apenas com 32,1 milhões, retirando os 10% para os intermediários das conversações, os 10% da mais valia para a Sampdória, os 5% do mecanismo de solidariedade e os 30% para a banca. Ainda assim, não está descartada a hipótese de parte desses encargos ficar também do lado da formação britânica.