O jornal britânico The Guardian anunciou esta quarta-feira que vai deixar de aceitar publicidade de empresas que se dedicam à “extração de combustíveis fósseis”, contribuindo assim para a luta contra as alterações climáticas.

Em 2019, a publicação já tinha anunciado a sua intenção de reduzir a zero as suas emissões durante a década seguinte.

Ao equacionarmos o que a nossa empresa poderia fazer mais, percebemos que podemos dar outro passo, se queremos ser fiéis aos nossos valores”, apontou a diretora executiva do jornal, Anna Bateson, num artigo que foi esta quarta-feira publicado.

Neste sentido, o The Guardian decidiu que não vai mais aceitar anúncios “de companhias de extração de combustíveis fósseis”, avançou a responsável.

De acordo com o mesmo texto, citado pela agência EFE, Bateson admitiu que alguns leitores querem que o jornal vá “mais longe” e que proíba os anúncios “de qualquer produto com uma pegada de carbono significativa, como carros e viagens”.

Porém, “acabar com esses anúncios seria um duro golpe financeiro” que poderia obrigar o jornal a “cortes significativos” na redação, ressalvou a diretora executiva.