A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) recebeu 21.358 reclamações e pedidos de informação em 2019, menos 10.063 (32%) do que os 31.421 processos registados no ano anterior, foi esta terça-feira divulgado.

“A ERSE recebeu 21.358 reclamações e pedidos de informação em 2019, menos 10.063 do que no ano anterior, das quais 11.402 chegaram através do Livro de Reclamações Eletrónico, disponibilizado desde 1 de julho de 2017 para os serviços públicos essenciais”, lê-se na nota disponibilizada no site da entidade.

De acordo com os dados da ERSE, o setor elétrico continua a ser alvo da maior percentagem de registos deste género (65%), com 13.156 reclamações e 722 pedidos de informação, num universo de 6,2 milhões de consumidores. Por seu turno, o serviço de gás natural causou 1.863 reclamações e 104 pedidos de informação (9%), num total de cerca de 1,5 milhões de consumidores.

Já o fornecimento agregado de eletricidade e gás natural motivou a apresentação de 2.893 reclamações e 126 pedidos de informação (14%), enquanto que o subsetor dos combustíveis e do gás de petróleo liquefeito (GPL) registou 1.285 reclamações e pedidos de informação (6%).

Quanto à divisão por tema da reclamação, a faturação causou 6.056 pedidos junto da reguladora e as questões ligadas ao contrato de fornecimento de energia foram responsáveis por 2.575 registos.