O Papa Francisco faltou a um compromisso agendado para a manhã desta quinta-feira devido a uma “ligeira indisposição” que o levou a ficar na sua residência, anunciou o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, em declarações aos jornalistas na sala de imprensa da Santa Sé.

Na agenda do Papa para esta quinta-feira estava, além da missa diária matinal na Casa de Santa Marta (onde vive) e de uma audiência com elementos de um movimento católico de luta contra as alterações climáticas, uma deslocação à basílica de São João de Latrão, fora dos muros do Vaticano, para uma celebração com membros do clero da diocese de Roma.

Foi esta deslocação para fora do perímetro do Vaticano que acabou por ser cancelada devido ao estado de saúde do Papa Francisco. O cardeal italiano Angelo de Donatis leu, na celebração, as palavras que deveriam ter sido proferidas pelo Papa argentino.

“Devido a uma ligeira indisposição, [o Papa Francisco] preferiu permanecer nos aposentos perto de Santa Marta”, afirmou o porta-voz do Vaticano, assinalando que os outros compromissos de Francisco, que tiveram lugar dentro das instalações da Santa Sé, se mantiveram na agenda.

O porta-voz do Vaticano não estabeleceu nenhuma relação entre as medidas adotadas em resposta à indisposição do Papa e o surto de coronavírus que começou em dezembro na China e já atingiu mais de 80 mil pessoas em todo o mundo. Itália é o país europeu mais afetado. Até à tarde desta quinta-feira, Itália registava 447 casos de infeção e 14 mortes.

Na sequência do surto em Itália, o Vaticano optou por cancelar alguns dos eventos de multidões agendados para os próximos dias em espaços interiores e adotou medidas preventivas, como a instalação de recipientes com desinfetante de mãos nas entradas da Praça de São Pedro e também a mobilização de equipas médicas que estão a postos para socorrer qualquer pessoa que apresente sintomas dentro do Vaticano.

Nas celebrações desta quarta-feira na Praça de São Pedro, foi possível ver várias pessoas a utilizar máscaras protetoras nas proximidades do Papa Francisco, de 83 anos. Ainda na Argentina, durante a juventude, Jorge Mario Bergoglio foi submetido a uma cirurgia para retirar parte de um dos pulmões.