Enquanto fabricante de motos, a KTM – que lidera entre as marcas europeias desde 2012 – tem vindo a incrementar a gama dos seus modelos. Se durante os primeiros anos concentrou a oferta nos modelos de enduro, motocross e de trail, todas elas aptas a circular em estradas de terra, tem ultimamente alargado a gama para motos desportivas, que denomina Supersport, ou as respectivas versões Naked, sem carenagem.

Este interesse exclusivo em motos terminou em 2008, quando aos veículos de duas rodas a marca austríaca aliou o seu primeiro produto com quatro rodas. Denominado X-Bow (que se deve ler “cross-bow”), este veículo completamente aberto, como se tratasse de um kart em ponto grande, surpreendeu pelo comportamento ágil (ou não possuísse um chassi integralmente em fibra de carbono) e uma invejável relação peso/potência. Houve várias versões do KTM X-Bow, sempre proposto com mecânica Audi e que surgiu com o 2.0 TFSI de 240 cv, que depois evoluiu para 304 cv na versão X-Bow R. Paralelamente, ainda em 2008 foi desenvolvida uma versão GT4 do X-Bow, mantendo o chassi e carroçaria em fibra de carbono, mas neste caso fechada, que conheceu algum sucesso na competição. Nos 12 anos de produção, já foram comercializados mais de 1300 X-Bow, nas diferentes especificações.

5 fotos

Se o X-Bow original continua a em produção, a novidade agora é introdução do X-Bow GTX, que parece uma versão mais civilizada do X-Bow GT4, uma vez que, ao contrário dos X-Bow normal e R, não está homologado para circular em estrada. A carroçaria continua a ser desenhada por Kisha Design, o chassi em carbono concebido pela Dallara (construtor muito respeitado no mundo dos veículos de competição) e o motor desenvolvido e fornecido pela Audi. Neste caso trata-se do 2.5 com cinco cilindros em linha e obviamente sobrealimentado, capaz de fornecer 600 cv. Se este é um valor impressionante, em termos absolutos, é-o ainda mais se considerarmos que o GTX anuncia um peso de somente 1000 kg. Isto permite ao X-Bow GTX anunciar uma relação peso/potência de 1,66 kg/cv, batendo respeitados superdesportivos como o Ferrari 488 Pista (1460 kg e 721 cv), que se fica pelos 2,02 kg/cv, ou o Lamborghini Aventador SVJ (1690 kg e 770 cv), que reivindica 2,19 kg/cv.

Limitado a uma utilização em pista, o X-Bow GTX vai estar homologado em GT2, o que lhe permite competir em diversos campeonatos. O preço do novo “brinquedo” da KTM ainda não foi anunciado, mas se tivermos em conta que o X-Bow GT4 é proposto por 152 mil euros, é provável que este se coloque abaixo da fasquia dos 200 mil euros.