O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu venceu as terceiras eleições legislativas no espaço de um ano, de acordo com as sondagens à boca das urnas divulgadas esta segunda-feira. Este resultado foi alcançado 15 dias antes de ter início o julgamento do atual chefe de governo por suspeitas de corrupção.

O partido de Netanyahu, o Likud (centro-direita), terá conseguido 36 a 37 lugares no Knesset (Parlamento israelita). Juntamente com os lugares que terão sido alcançados pelos restantes partidos da direita (o Yamina, o Shas e o Judaísmo Tora Unida), Netanyahu conta, neste momento, com uma coligação de 60 deputados, um lugar a menos do que o necessário para formar maioria.

O rival Benny Gantz conseguiu apenas 32 a 33 lugares para a sua aliança Azul e Branca, um resultado menos positivo do que nas passadas legislativas, em setembro de 2019, quando bateu Netanyahu por um lugar no Knesset. Contudo, nenhum dos dois líderes foi capaz, à altura, de formar uma maioria no Parlamento com capacidade para governar.

De acordo com as sondagens à boca das urnas, o terceiro partido mais votado foi a Lista Árabe, que reúne os vários partidos árabes, com 14 a 15 deputados. A aliança de esquerda Labor-Gesher-Meretz ficou-se apenas pelos 6 a 7 lugares.

Apesar de esta ser a terceira ida às urnas no espaço de um ano, estas eleições ficam marcadas pela baixa abstenção. De acordo com o Haaretz, a uma hora do fecho das urnas já tinham votado 65,6% dos eleitores, a taxa de participação mais elevada no país desde 1999.