Como a generalidade dos fabricantes de automóveis, o Grupo Daimler, que controla a Mercedes e 50% da Smart – o resto pertence aos chineses da Geely – necessita de financiamento para fazer frente aos prejuízos provocados pelo coronavírus. Daí que, segundo a Automotive News, esteja em contacto com uma série de instituições financeiras tendo em vista a abertura de uma linha de crédito num valor que deverá variar entre 10 e 15 mil milhões de euros.

Esta necessidade de capital por parte dos alemães da Daimler surge cerca de dois anos depois de terem recorrido à banca, em busca de 11 mil milhões de euros até 2025, com as duas linhas de crédito a sobreporem-se no tempo. Contudo, a Moody’s já colocou a Daimler sob observação, pelo que não difícil antever que, com o apertar da crise devida à Covid-19, o rating venha a descer, piorando as condições deste novo crédito.

Segundo a Daimler, a nova linha de crédito pretende dotar a marcas do grupo do necessário fôlego financeiro para fazer face ao incremento da despesa e à redução da facturação, que já se sente e que se espera que aumente nos próximos meses.

Ainda de acordo com a Automotive News, também a Fiat Chrysler Automobiles assinou com dois bancos internacionais um crédito de 3,5 mil milhões de euros, com a finalidade de evitar que a Covid-19 se alastre às finanças do grupo italo-americano.