O anúncio chegou via Twitter, claro, e foi avançado pelo próprio empresário. Jack Dorsey, cofundador e CEO (presidente executido) da empresa que gere esta rede social, está a dispor de mil milhões de dólares, cerca de 926 milhões de euros, para financiar a recuperação económica e social pós pandemia através de um conjunto de projetos.

A quantia será repartida a partir da Start Small Foundation, criada pelo próprio empresário e que conta com a orientação da Silicon Valley Community Foundation. “Porquê agora? Porque as necessidades são urgentes e porque quero ver resultados em vida”, escreveu o programador de 43 anos no Twitter. “Espero que isto inspire outros a fazer algo do género. A vida é demasiado curta, por isso vamos fazer o que podemos para ajudar as pessoas agora”, continuou.

No Twitter, Dorsey disponibilizou um documento onde tenciona detalhar toda as aplicações deste novo fundo. “Porquê a transparência? É importante mostrar o que estou a fazer para eu e outros podermos aprender. Já descobri e financiei muitas organizações com impacto comprovado, sobretudo de forma anónima. No futuro, todas as doações serão públicas. Aceitam-se sugestões. Abram já a aplicação do vosso bando”, escreveu.

Quando o surto de coronavírus estiver controlado, o fundo terá, segundo o benfeitor, dois alvos prioritários: a saúde e a educação infantil feminina e o rendimento básico incondicional (RBI). “Acredito que estes pontos representam as melhores soluções a longo prazo para os problemas existenciais que o mundo enfrenta. “O RBI é uma ótima ideia que precisa de ser testada. A saúde e a educação de meninas é algo difícil de equilibrar”, continuou.

Aos 43 anos, Jack Dorsey tem uma fortuna avaliada em 3,3 mil milhões de dólares © Chesnot/Getty Images

De acordo com o documento partilhado, dos mil milhões de dólares que compõem o fundo já saíram 100 mil dólares, cerca de 93 mil euros. A primeira doação concreta aconteceu a 2 de abril e teve como destino a America’s Food Fund, iniciativa lançada por Leonardo DiCaprio em colaboração com a Apple e com Oprah Winfrey, entre outras entidades.

Quanto às grandes contas, foi o próprio Dorsey a fazê-las, também no Twitter. A fatia de ações postas ao serviço deste fundo representa 28% da fortuna do empresário, avaliada em 3,3 mil milhões de dólares, cerca de 3.054 milhões de euros. Quanto à Square, empresa de pagamentos móveis e e-commerce criada em 2009, e da qual também é CEO e cofundador, o seu valor ronda os 6 mil milhões de dólares, algo como 5.530 milhões de euros. “O impacto que este dinheiro vai ter vai beneficiar ambas as empresas [Square e Twitter] a longo prazo porque vai estar a ajudar as pessoas que queremos servir”, concluiu.